Matéria da Revista Cabeleireiros.com - Edição 48

ImprimirA arte de atender bem

Avalie: 12345

recepçao salão (2)Investir em uma boa recepção e respeitar a função de cada profissional é decisivo para conquistar clientes e se destacar no mercado

texto: Renata Vieira | fotos: divulgação

Definitivamente, a primeira impressão é a que fica. Quem já teve a desagradável experiência de ser mal atendido ou nem sequer notado e desistiu do que pretendia adquirir sabe como a frase é verdadeira. Nos salões de beleza, o responsável pela decisão de consumo é, em primeiro lugar,
o(a) recepcionista.

Entre os fatores que colaboram para que o primeiro contato seja desastroso é o equívoco na definição das funções de quem trabalha na recepção. Recepcionista é a pessoa que saúda pessoas em
uma organização ou evento. Ponto. O problema é que um percentual significativo de salões de beleza desdobra esse trabalho em inúmeras outras atividades, que tiram o foco principal: dar atenção ao cliente. Entre as funções atribuídas, estão operadora de caixa, telefonista, garçonete, auxiliar de escritório, operadora de computador, compradora, estoquista, vendedora, gerente substituta e até auxiliar de cabeleireiro.

recepçao salão (1)Segundo Paulo Lania de Araújo, diretor da Garra Aliança, empresa de consultoria para salões de beleza, essa função se tornou um verdadeiro problema para muitos proprietários, que depositam em uma única pessoa a expectativa de um desempenho extraordinário. Tudo para diminuir os gastos em contratação de mão de obra especializada. “Em função disso, muitos clientes são mal atendidos ou desatendidos, o salão não é apresentado de forma adequada, os serviços administrativos ficam pendentes e as vendas não são realizadas”, alerta.

Sabe-se que não se chega a lugar nenhum sem investimento. De tempo, de dinheiro e de trabalho. “É necessário compor a equipe para  atender às expectativas dos consumidores”, observa Paulo. O lucro é uma consequência natural de um trabalho benfeito.

A escolha ideal Simpatia, atenção, agilidade e gentileza são algumas das características esperadas de uma recepcionista e servem para facilitar a aproximação espontânea dos clientes.

recepçao salão (4)No processo de seleção, Zeni Rosa de Souza, gerente do Salão Princess Hair, de Curitiba (PR), prefere candidatas acima dos 25 anos, por considerar esse perfil mais responsável e maduro. “A experiência profissional não é tão importante, visto que uma boa empresa oferece treinamento para novos funcionários”, afirma. Para ela, atributos como foco e facilidade de relacionamento pesam bem mais que anos na função.

A apresentação pessoal também tem bastante valor. Quem trabalha na área da beleza serve de modelo para os clientes, e essa regra é válida também para a recepção. No Princess Hair, o cuidado começa com a padronização dos uniformes em cor preta, para facilitar a identificação. “Você não precisa contratar uma modelo, mas apresentar-se com cabelo arrumado, maquiagem feita e sorriso no rosto são fatores fundamentais”, explica.

recepçao salão (5)O salão também oferece a possibilidade do plano de carreira, para incentivar a permanência dos funcionários no cargo. Quem começa trabalhando no estoque e desenvolve bem sua função, por exemplo, tem preferência quando surgirem vagas na recepção e, futuramente, pode-se tornar gerente de uma das unidades.

O ambiente comunica!
Tão importante quanto contar com pessoas focadas no atendimento é pensar no ambiente em que elas vão trabalhar. Para a arquiteta Vanessa Trad, o local ideal é planejado para garantir bem-estar e conforto aos usuários.

E o que não pode faltar em uma recepção atrativa? “Uma boa iluminação e conforto térmico são fundamentais”, explica Vanessa. Quanto à estética do local, fatores como boa claridade e adereços pouco chamativos são ótimas opções, com acabamentos feitos de materiais nobres como madeira, mármore e vidros.

recepçao salão (7)Um espaço organizado praticamente convida as pessoas a estarem nele. Por isso, é importante que toda a equipe zele por isso. Vale mencionar que, na recepção, um dos principais vilões é o excesso de papéis sem utilidade. É fundamental que a mesa esteja sempre limpa e com os objetos necessários posicionados em seus devidos lugares. Apesar de serem sempre encontradas nesse local,
as revistas nunca devem estar danificadas ou espalhadas.

Com relação à mobília, tudo o que dificulta a circulação de clientes e profissionais deve ser evitado. Móveis maiores do que os ambientes podem dar a impressão de um péssimo negócio. “O mobiliário deve ser planejado de acordo com o tamanho dos cômodos e ser combinado com as cores. Não se deve optar por muitas tonalidades diferentes, para o local não parecer sujo”, conclui.

Galeria de fotos:

  • Fabio Salsa
  • Frank Provost
  • Anne Veck
  • Madrigal
  • Frank Provost
  • L'oreal
  • Trend Z

Deixe um comentário:



Buscar

Notícias

Newsletter

Assine e receba as novidades da revista em primeira mão.



Publicidade


Revista Cabeleireiros.com

Login Cadastre-se