Matéria da Revista Cabeleireiros.com - Edição 12

ImprimirAdministração Bem-Sucedida

Avalie: 12345

Uma administração profissional é requisito indispensável para o sucesso de seu salão, pois é ela que garante a satisfação do cliente e o retorno do investimento.

Até pouco tempo atrás, só entrava no ramo de cabeleireiro quem era da área. Mas isto mudou. Quem tiver R$ 50 mil monta um salão e fica satisfeito com R$ 500 de lucro por mês, que é uma rentabilidade maior que qualquer aplicação equivalente. Mas, para um salão dar mais lucro é indispensável uma boa administração.

Nas palestras que faço por todo o Brasil sempre digo: “Um salão de cabeleireiro não é uma entidade filantrópica”. Sendo assim, seu objetivo é o lucro; e para se ter lucro é importante seguir algumas regras básicas.

O controle de caixa é importante

A contabilidade de um salão não é a de uma padaria. Nada de usar o velho método onde o balconista anota no papel a quantia a ser paga e, depois de registrar, joga fora. Resultado: no final do dia o dono não sabe quanto entrou no caixa.

Como em qualquer negócio, tem que haver um controle de tudo: pequenos gastos, salários, formação de pessoal, estoque e aluguel. O uso de um livro-caixa facilita este trabalho. Basta anotar nele todo o dinheiro que entra e sai.

A procura de um sócio

Para quem quer abrir um salão, mas não tem experiência, meu conselho é arrumar um sócio do ramo. Só alguém da área tem poder de negociar salários, ou percentuais compensadores para as duas partes. Quem está por fora do mercado aceita as exigências do contratado e perde dinheiro.

Escolhendo o ponto certo

Um bom ponto ajuda, embora não seja sinônimo de rua movimentada. No Brasil, a maioria dos clientes é do cabeleireiro e não do salão. Sendo assim, o profissional não deve sair de onde já fez sua clientela, pois ela tende a acompanhá-lo. É melhor conseguir um ponto mais em conta nas redondezas.

Lucro e controle dos gastos

É possível controlar os gastos com shampoo e outros produtos. O correto é descontar um percentual do cabeleireiro, em geral 5%. Além de estimular o profissional a economizar. Se um litro de shampoo rende 40 lavagens, por exemplo, quem ultrapassar esta margem deve pagar uma taxa extra, além dos 5% já estipulados.

No salão onde sou sócio, o De La Lastra, costumamos manter nove reservas de cada produto, o que não é uma regra. Quando a compra de produtos é casada, acaba-se comprando um tom de tinta pouco utilizado. Quando estes produtos se acumulam, ou estão perto da data de vencimento, pode-se oferecê-los de graça aos cabeleireiros, que repassam o desconto, ou cortesia, para as clientes.

Fluxo de caixa

Eu sempre mantenho 20% do faturamento, em caixa, para as pequenas despesas do dia e o pagamento dos profissionais. Mesmo que o salão trabalhe com cheque pré-datado, ou cartão de crédito, o profissional recebe no mês em que o trabalho foi feito. Esse movimento é feito com o dinheiro deixado em caixa.

Orçamento x lucro

O peso no orçamento é a folha de pagamento, que varia entre 50% a 65% do faturamento. O aluguel não deve ultrapassar os 5%, para não sacrificar a margem de lucro, que gira em torno de 8 a 12%. O controle de qualidade é mantido com o treinamento de pessoal.

No salão que administro, cerca de 10% do faturamento é destinado ao treinamento profissional, através de um rodízio de equipes. Todo ano, dois profissionais, que fazem cursos e atualizações na Europa, treinam os que ficaram aqui.

Regras para uma sociedade bem-sucedida

Quando um dos sócios é o proprietário do prédio onde o salão foi montado, ele deve receber pelo aluguel. Caso não haja acordo, é preferível alugar um outro ponto, que nada tenha a ver com os parceiros. Se um dos sócios trabalha, deve receber um salário normal, como qualquer funcionário. E como sócio, terá participação nos lucros.

O salão na direção certa

Está cada vez mais difícil ser diferente do concorrente, pois o que era diferente virou condição básica para um salão permanecer no mercado: qualidade, preço ajustado, boa apresentação e informatização. Aumentar o faturamento e a lucratividade exige equipes treinadas, motivadas e eficientes, além de qualidade no atendimento ao cliente.

Mas afinal, o que é o cliente? O cliente é a pessoa mais importante de seu salão, que depende dele para existir. Não fazemos um favor ao atendê-lo; ele é quem faz o favor de nos dar a oportunidade de atendê-lo. Por tudo isso, creio que uma boa administração seja fundamental ao sucesso de qualquer empreendimento.

Gostaria de receber sua sugestão sobre assuntos que poderiam ser abordados em treinamentos, ou artigos (e-mail: caorista.fnr@terra.com.br). Que Deus abençoe a todos.

1 Comentário:

  1. Foto: Gabriela
    Gabriela: 11/05/2009 às 16:37
    Adorei a matéria!!! Gostaria de saber quais são os requisitos necessários para se ter uma escola de cabelereiros, tantos tecnicos e administrativos!


Buscar

Notícias

Newsletter

Assine e receba as novidades da revista em primeira mão.



Publicidade


Revista Cabeleireiros.com

Login Cadastre-se