Matéria da Revista Cabeleireiros.com - Edição 50

ImprimirCabelos-arte

Avalie: 12345

entrevista_internacional (7)Para o francês Bruno Barbeyrol, proprietário do B. Barbeyrol Hair Stylist, os trabalhos vanguardistas não devem ser considerados excessos, e sim expressões da criatividade dos cabeleireiros

Texto: Liana Pires | fotos: Arnaldo Bento (evento) e divulgação (coleção)

Cabeleireiros.com: Quais são as vantagens e as desvantagens de fazer parte de uma família de cabeleireiros?
Bruno Barbeyrol:
A vantagem é que falamos a mesma linguagem, e isso dá apoio quando preciso tomar determinadas decisões profissionais. O inconveniente é precisar se submeter ao julgamento deles e lidar com o sentimento de que você não pode decepcioná-los.

entrevista_internacional (6)C.C.: Você era esportista. Esse passado ajudou a desenvolver seu espírito de liderança, já que o mercado de beleza é tão competitivo?
B.B.:
Eu fazia parte de um time profissional de futebol, mas uma lesão na perna me impediu de jogar. Essa experiência foi muito positiva para minha vida, pois aprendi a ser um bom competidor e desenvolvi a filosofia de sempre desafiar meus limites.

C.C.: No início da carreira, seu sonho era ser um cabeleireiro de alto nível. Quais são as características necessárias a esse profissional?
B.B.:
O desafio é manter o trabalho em alto nível e adaptar seu estilo de corte, coloração e penteado ao desejo e às características de cada cliente. Além disso, considero que os segredos do sucesso são: trabalho, disciplina, constância, paciência e paixão.

entrevista_internacional (1)C.C.: Em prol de um atendimento personalizado, você acredita que o profissional tem o dever de explicar o que está fazendo aos clientes? Por quê?
B.B.:
É de extrema importância explicar cada passo de nossas técnicas e do que estamos fazendo para os clientes. Tal conhecimento deve ser transmitido para que eles cuidem dos fios em casa, mantendo o trabalho que foi executado. Isso demonstra humildade e profissionalismo.

C.C.: Qual é seu modo de expressão por meio da beleza, vanguardista ou comercial?
B.B.:
Sou capaz de me adaptar às solicitações dos penteados mais simples, mas meu domínio está mesmo nos looks avant-garde.

entrevista_internacional (2)C.C.: Como você se inspira para transformar cabelos em arte?
B.B.:
Procuro temas inovadores, sempre pesquisando técnicas diferentes e materiais que podem ser utilizados. Nos editoriais, a harmonia entre a modelo e o personagem que ela está representando é importante, pois são esses dois aspectos juntos que sublimam o trabalho.

C.C.: Suas coleções são idealizadas para ditar tendência ou para mostrar seu estilo?
B.B.:
Eles não ditam tendências, mas deixam claro qual é a proposta do meu trabalho. Essa é minha visão, sempre inspirada na criatividade.

entrevista_internacional (5)C.C.: Então, os pecados e os excessos nos looks de beleza podem ser cometidos por profissionais?
B.B.:
Não considero que os looks vanguardistas sejam excessos. Acredito que estes são, sim, cometidos quando os profissionais não adaptam suas técnicas e ideias aos clientes ou aos modelos. O restante é criatividade e criação.

C.C.: A maquiagem pitoresca também é importante no estilo vanguardista?
B.B.:
A maquiagem complementa o trabalho e ajuda a sublimar cada look. Ela está relacionada ao conjunto total.

Galeria de fotos:

  • Bruno Barbeyrol
  • Tendência by Bruno Barbeyrol
  • Tendência by Bruno Barbeyrol
  • Tendência by Bruno Barbeyrol
  • Tendência by Bruno Barbeyrol
  • Tendência by Bruno Barbeyrol
  • Tendência by Bruno Barbeyrol

Deixe um comentário:



Buscar

Notícias

Newsletter

Assine e receba as novidades da revista em primeira mão.



Publicidade


Revista Cabeleireiros.com

Login Cadastre-se