Matéria da Revista Cabeleireiros.com - Edição 49

ImprimirColoração masculina: você é a favor ou contra?

Avalie: 12345

coloracao_masculina (2)O mais controverso tratamento de beleza masculino é colocado em xeque e duas profissionais opinam sobre o assunto

texto: Eder Garrido | fotos: divulgação

Desde o momento em que 45% do público masculino* aderiram à depilação em alguma parte do corpo, o título de procedimento de beleza mais polêmico foi transferido para a coloração capilar. Não tem jeito: não são poucas as pessoas que ainda torcem o nariz para homens que desfilam com as madeixas coloridas ou com mechas loiras. Quando definida, a aceitação/rejeição vai dos meninos na fase escolar aos senhores.

Para ajudar você a formar sua opinião, duas profissionais da coiffure dão sua opinião sobre a coloração masculina. Acompanhe!

Sou a favor!
“A coloração masculina é fantástica, mas entendo que o assunto ainda gera incertezas, pois esse público é diferente do feminino no quesito transformações.

Não são poucos os homens com cabelos ‛complicados’, e que para dominar o problema precisam mantê-los sempre curtos. No entanto, a maioria desconhece o fato de a cor suavizar a forma. Por exemplo: quem possui fios muito grossos ou encaracolados e quer experimentar um visual liso ou alongado pode conseguir o efeito iluminando algumas regiões. Da mesma forma, um bom corte aliado a luzes feitas nos lugares certos pode disfarçar áreas de calvície.

Disfarçar os brancos? Por que não? Eles pesam na aparência, passando a impressão de idade avançada. Tudo bem, fios grisalhos podem ficar charmosos, porém isso depende do tom do cabelo e da pele da pessoa. Nessa hora, cabe ao profissional oferecer a opção mais coerente – e elas não são poucas.

Embora ainda seja difícil mostrar para os homens a importância do retorno ao salão de beleza para a manutenção da cor, é interessante frisar que quem investe na coloração desfruta um visual mais jovial e arrojado. Pode ocorrer o desbotamento? Sim. No entanto, isso pode ser evitado com xampus de qualidade.

Esse conceito da coloração ‘abalar a masculinidade’ é antigo. Muitos assumem a vaidade de forma natural; no entanto, outros, com receio do que os outros vão falar, ficam frustrados. As mudanças podem ocorrer de forma gradativa, de maneira que mal se note a transformação. Radicalismos podem gerar críticas, mas técnicas como as mechas inversas são capazes de mudar o look aos poucos, sem chocar nem descaracterizar a pessoa.

Quem se espelha nas celebridades para adotar uma coloração também está certíssimo! Além de ditar moda, homens como Johnny Depp e Cristiano Ronaldo representam conquistas. Não raramente astros de futebol ou do cinema aparecem com uma produção moderna, e basta uma adaptação para que até mesmo os não tão jovens possam adotá-la.

Todos querem parecer mais atraentes, e dizer que ser macho é declinar de recursos como coloração é pra lá de infundado. O crescimento gigantesco do setor de beleza masculino ilustra isso.”
Sionara Bandeira, coordenadora-técnica da Keune Brasil

coloracao_masculina (1)Tenho restrições!
“Na coloração masculina, as desvantagens são mais visíveis que os benefícios, e os próprios homens que se submetem ao procedimento pela primeira vez não demoram a perceber isso.

Mesmo a técnica mais comum, o reflexo invertido, em que algumas mechas escuras são feitas para diminuir a quantidade de brancos, não chega a ser vantajosa. O resultado só fica satisfatório nos primeiros dias. Passadas duas ou três semanas, as chances de a coloração desbotar e do surgimento de reflexos avermelhados são imensas.

Não adianta insistir: homens não são como as mulheres, que não veem problemas em voltar ao salão de beleza para retocar a coloração a cada dez dias. Eles querem algo que dure cinco ou seis meses, e isso ainda é inviável.

Ainda impera, em todas as faixas etárias, o homem à moda antiga, que passa longe de qualquer tipo de coloração. Meninos na pré-adolescência até arriscam fazer mechas de vez em quando, mas nem nessa fase o resultado fica bom.

Quanto mais evidente for a mudança, mais artificial ela se torna. Algumas marcas insistem em anunciar produtos revolucionários para este setor, mas várias delas comprometem o visual depois de pouco tempo de aplicação.
Usar o antigo embasamento de que David Beckham e Brad Pitt sempre mudam a cor dos cabelos também não me convence. Sob os holofotes, tudo ganha um ar glamouroso e fica interessante, mas pessoas comuns como gerente de banco ou executivo não combinam com esse tipo de recurso. Eles mesmos sabem disso, mas nem sequer cogitam fazê-lo.

Para deixar o visual masculino bonito, ainda defendo o clássico corte benfeito e sua manutenção. Um tratamento antiqueda também entra na minha lista branca, assim como um relaxamento leve, para domar os fios muito rebeldes. Mas só até aí!”
Rozee Cândido, proprietária do Salão Rozze e Rozzees Coiffure

* Dados fornecidos por pesquisa realizada pela Procter & Gamble

Confira também:

Creme depilatório masculino

Galeria de fotos:

  • Richard Gere
  • David Beckham

Deixe um comentário:



Buscar

Notícias

Newsletter

Assine e receba as novidades da revista em primeira mão.



Publicidade


Revista Cabeleireiros.com

Login Cadastre-se