Matéria da Revista Cabeleireiros.com - Edição 8

ImprimirColoração - A busca da perfeição

Avalie: 12345

A mudança de rotina, no dia-a-dia dos salões, cria um novo perfil de clientes e exige competência e atualização profissional.

Nos últimos 20 anos, os profissionais cabeleireiros sentiram uma grande mudança no dia-a-dia do salão com relação ao movimento de clientes, que foi diminuindo com o passar do tempo. Vários fatores concorreram para esta alteração de rotina. Entre eles, novos hábitos das clientes e novas técnicas que substituíram algumas, anteriormente utilizadas.

O perfil da cliente mudou e muitos profissionais não acompanharam essa evolução. Isto não quer dizer que não estejam atualizados e capacitados para exercer suas funções com competência. Não é isto! A realidade hoje é outra. Antes, trabalhava-se exaustivamente, de segunda-feira a sábado, com um movimento intenso, e os serviços mais procurados eram definidos mais ou menos nessa ordem: corte, escova, coquetéis (banho de creme), coloração, permanente e touca de gesso (uma mistura de líquido de permanente e farinha de trigo utilizada por alguns profissionais para diminuir o excesso de volume).

Hoje, só continua inalterado o perfil da cliente que procura o serviço de corte, mensal, bimestral ou semestral. A diferença está na procura dos outros trabalhos. Naquela época, 80% das clientes, mesmo as que tinham cabelos curtos, iam ao salão até duas vezes por semana para escovar os cabelos. Com a evolução das técnicas de corte e a moda, que proporciona praticidade, a escova deixou de ser exclusividade e prioridade no salão. Em compensação, outros serviços ganharam força substituindo práticas anteriores. É o caso da coloração, que antigamente só era procurado para cobrir fios brancos, e agora passou a ser um grande gerador de lucros e fidelidade, por parte das clientes.

Um serviço de coloração exige fatores agregados que somam lucro, com práticas complementares, e, conseqüentemente, o retorno constante da cliente. Além de retoques periódicos, de 30 a 35 dias, a cliente que colore seus cabelos passa a fazer tratamentos constantes para manter a cor e adota uma linha especial de produtos profissionais, geralmente indicados pelo seu cabeleireiro. Sendo assim, o profissional moderno tem que estar capacitado para executar o trabalho químico que requer diagnóstico do cabelo, tanto para a coloração quanto para tratamento, e a indicação correta do shampoo e condicionador, com e sem enxágüe, para cada tipo de cabelo. Tudo isso requer do profissional atualização constante através de cursos, leitura e principalmente, muito treino. As fórmulas das colorações evoluíram, e os produtos para tratamento capilar acompanharam essa evolução, exigindo conhecimento do cabeleireiro para serem aplicados e indicados corretamente.

As clientes não buscam somente colorir os cabelos uniformemente. Querem estilo e personalidade: uma mecha, várias mechas, transparências, duas ou mais cores, harmoniosas ou contrastantes, de acordo com o seu gosto e estilo. E todas estas técnicas são executadas no salão, por um profissional competente e atualizado.

Analisando todos esses fatores se conclui que o perfil da cliente mudou muito. Se antes ela freqüentava mais o salão, gastando pouco, hoje vem menos, mas, em compensação, gera uma maior lucratividade. O que só vai ocorrer em salões com profissionais preparados para essa evolução, que saibam que um trabalho executado com tranqüilidade e lucros maiores dependem da qualidade do desempenho de cada um.

Deixe um comentário:



Buscar

Notícias

Newsletter

Assine e receba as novidades da revista em primeira mão.



Publicidade


Revista Cabeleireiros.com

Login Cadastre-se