Matéria da Revista Cabeleireiros.com - Edição 26

ImprimirConsciência ecológica - Atitudes corretas

Avalie: 12345

Grandes marcas adotam medidas reais para a preservação do meio ambiente

Aquecimento global, milhões de hectares florestais dizimados a cada minuto, rios repletos de lixo. Esses são alguns dos reflexos da ação do ser humano, que insiste em não preservar o meio no qual vive. Conforme os ecologistas alertam, essa situação precisa ser revertida rapidamente, para que as próximas gerações tenham a oportunidade de desfrutar dos elementos naturais.

Como essa questão não pode ficar somente no papel ou nos comerciais de televisão, inúmeras empresas estão engajadas em projetos de preservação do meio ambiente. Cada uma ajuda como pode, seja por meio da reciclagem de embalagens, seja por meio de verbas para reflorestamentos e da utilização de tecnologias que não contam com matéria-prima de origem animal ou substâncias químicas. A Surya Brasil, a Wella Professionals e a Natura são algumas das companhias que contribuem para essa iniciativa. Confira o trabalho de cada uma delas.

Surya Brasil

Conhecida no cenário internacional como uma empresa ecologicamente correta, a Surya Brasil, comandada por Clélia Angelon, está no mercado brasileiro desde 1995, elaborando linhas de cosméticos à base de plantas e ervas amazônicas e indianas. Em 2007, a companhia investiu em embalagens 100% biodegradáveis, feita exclusivamente para a linha Amazônia Preciosa, que contém produtos naturais para a estética facial.

A tecnologia para esse lançamento foi importada da Alemanha e baseia-se em um material termoplástico produzido a partir de recursos renováveis, como a lignina, um polímero natural formado por fotossíntese que corresponde a 30% da substância de cada árvore. A embalagem é composta por lignina, fibras naturais da madeira, linho, cânhamo, sisal e outras plantas fibrosas, além de aditivos naturais. Em contato com agentes externos, como chuva, vento e umidade, ela se decompõe em apenas quatro meses. “Como desenvolvemos produtos naturais, nossas embalagens também devem seguir esse conceito, que é nosso diferencial. Se outras empresas passarem a utilizar embalagens ecológicas, quem ganha é o planeta”, afirma Natalia Pereira, responsável pela área de desenvolvimento de embalagens.

Wella Professionals

A empresa alemã Wella Professionals também adotou uma forma diferenciada de ajudar a natureza. Por meio do projeto Eco-Solidariedade, ela incentiva os profissionais que trabalham em salões de beleza a adotar hábitos ecologicamente corretos. Todos os tubos de alumínio vazios, que normalmente iriam para o lixo, são reciclados, por exemplo.

O alumínio é a principal matéria-prima utilizada na fabricação dos tubos de coloração, mas o que muita gente não sabe é que esse material pode ser reciclado infinitas vezes, processo que “poupa” 95% da energia para reproduzi-lo. Além disso, esse processo permite a economia da reserva brasileira de bauxita, minério encontrado na Amazônia e usado na produção do alumínio.

Até fevereiro de 2008, os representantes da Wella passarão pelos estabelecimentos para recolher o material e trocá-lo por brindes. As embalagens serão vendidas para empresas de reciclagens e o valor arrecadado será doado para a Casa do Menor São Miguel Arcanjo, instituição filantrópica presente no Rio de Janeiro e em Fortaleza. Os três salões que mais contribuírem para a campanha ganharão um workshop no centro técnico da empresa, terão a oportunidade de conhecer a fábrica da Wella e a instituição beneficiada.

Amanda Mussi, gerente de coloração da marca, enfoca a importância da iniciativa: “O projeto Eco-solidariedade é uma oportunidade que a Wella Professionals oferece aos cabeleireiros e aos salões que buscavam uma maneira de ajudar e de se engajar em uma causa social, mas ainda não tinham encontrado um caminho”.

Natura

Uma das principais empresas de cosméticos do Brasil, há 38 anos no mercado, a Natura sempre trabalhou com produtos à base de substâncias naturais. Desde sua fundação, a companhia tem iniciativas para reduzir o impacto de sua produção na natureza. Em 1983, ano em que as Nações Unidas criaram a Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento, ela foi pioneira no uso de refil de cosméticos no País.

Segundo a diretora de marketing de inovação, Valéria Grossmann, a empresa investe constantemente nesse setor. “A Natura sempre acreditou que os ingredientes da natureza continham as melhores soluções para os consumidores. Acreditamos que o valor e a longevidade de uma companhia estão ligados à sua capacidade de contribuir para a evolução e para o desenvolvimento sustentável da sociedade”, afirma.

Seguindo essa filosofia, a empresa substituiu o álcool convencional pelo álcool orgânico e hoje 70% dos perfumes e desodorantes já são confeccionados com esse produto. O álcool vegetal orgânico diminui o impacto ambiental, pois provém da cana-de-açúcar cultivada sem o uso de agrotóxicos e adubos químicos e colhida sem queimadas. A cana é integrada às áreas de vegetação nativa, como pequenas matas, rios e lagos, assim a produção do álcool orgânico conserva a biodiversidade local.

“A Natura acredita que as empresas devem atuar como agentes de transformação social, contribuindo para a criação de cultura e consciência, além de promover temas importantes, como a inclusão social, a preservação do meio ambiente e o consumo consciente. Levamos a sério esse papel e procuramos incorporá-lo em nosso modelo de gestão, serviços e produtos”, diz Valéria.

Deixe um comentário:



Buscar

Notícias

Newsletter

Assine e receba as novidades da revista em primeira mão.



Publicidade


Revista Cabeleireiros.com

Login Cadastre-se