Matéria da Revista Cabeleireiros.com - Edição 28

ImprimirCouro cabeludo

Avalie: 12345

Conheça as doenças que podem afetar o couro cabeludo e saiba como amenizar uma delas: a caspa 

Valcinir BedinValcinir Bedin (presidente da Sociedade Brasileira para Estudos do Cabelo e diretor do Instituto de Pesquisa e Tratamento do Cabelo e da Pele)

O couro cabeludo é a porção de pele onde estão concentrados com mais ênfase os pêlos humanos, chamados também de cabelos. Ele requer cuidados especiais.

Qualquer elevação precisa ser avaliada por um médico; pois, assim como pode caracterizar uma simples verruga, é possível que seja um cisto sebáceo ou até mesmo câncer. Se houver alteração na cor, é necessário prestar atenção na nuance: caso ela seja avermelhada ou arroxeada, uma das hipóteses é alteração vascular; se sangrar, ela deverá ser submetida a um exame mético com urgência.

A descamação do couro cabeludo pode acontecer em decorrência de pitiríase furfurácea (descamação natural da pele do couro cabeludo), de dermatite seborréica (caspa) ou, em uma hipótese mais grave, de psoríase, doença que aparece no couro cabeludo ou no corpo todo. Infecções bacterianas, seguidas de quentura, vermelhidão e dor, também ocorrem, mas são raras.
Áreas sem cabelo surgem por causa da alopecia areata (pelada) ou de outras doenças, chamadas alopecias cicatriciais (como a pseudopelada de Brocq e o lúpus). Em crianças, é possível que apareçam infecções geradas por fungos (micoses), o que normalmente não se verifica em adultos. Neles, os casos estão relacionados a problemas de imunidade.

Caspa

A caspa é o resultado da descamação excessiva de células do couro cabeludo, associada geralmente à seborréia ou à dermatite seborréica. Pessoas tensas ou envolvidas em trabalhos que geram um alto nível de estresse ficam mais propensas a ela. Processos emocionais são capazes de desencadear uma divisão celular mais rápida na camada córnea do couro cabeludo e levar ao aparecimento da descamação. Esta, por sua vez, facilita o aparecimento ou o aumento de certos fungos que pioram a caspa. Torna-se um círculo vicioso. 

Mas não se desespere: a doença é controlável. Se a pessoa usar um xampu adequado, que mantenha a flora fúngica em equilíbrio, é possível que nem se note a descamação. O produto deve ser utilizado em dias alternados, mas de início recomenda-se usá-lo pelo menos por 15 dias seguidos.

Quem sofre desse mal deve saber que ele não é transmissível. A melhor forma de evitá-lo é manter os cabelos sempre limpos (lavá-los em dias alternados), usar xampu adequado e não esperar que apareça.

Por si só a caspa não causa calvície ou outras doenças, mas pode piorá-las. O uso de gel, xampu sem enxágüe, musses e finalizadores não ocasiona o problema. Estes produtos de estilo formam um pequeno filme ao redor dos fios, o qual quando se desprende dá a falsa impressão de ser caspa.

Hoje, existem várias substâncias que controlam o crescimento dos fungos que pioram a doença. Eles não causam a caspa, porém conseguem piorá-la. No inverno, a descamação aumenta, então o uso de substâncias que a controlam é mais necessário. O importante é que a parte cosmética também seja adequada, caso contrário os cabelos podem ficar ressecados e com aparência ruim

Deixe um comentário:



Buscar

Notícias

Newsletter

Assine e receba as novidades da revista em primeira mão.



Publicidade


Revista Cabeleireiros.com

Login Cadastre-se