Matéria da Revista Cabeleireiros.com - Edição 47

ImprimirDiga não à caspa!

Avalie: 12345

Allure | Andrew CollingeProfissionais esclarecem dúvidas sobre o problema que afeta 40% dos brasileiros*
 

texto: Renata Vieira | fotos: divulgação

“Tudo tem uma causa”
Certo:
a dermatite seborreica, popularmente conhecida como caspa, é o resultado de situações que alteram a saúde do couro cabeludo, promovendo descamação exagerada e eventuais inflamações, coceiras e feridas. Os processos inflamatórios podem estar relacionados ao excesso de oleosidade e ao crescimento de micro-organismos que causam irritação. Outro motivo são as micoses, que ocasionam a perda capilar e aumentam a descamação.

Errado: a caspa não é contagiosa, pois seu surgimento depende da predisposição individual combinada com outros fatores, como estresse, cansaço, mudança de temperatura e excesso de oleosidade capilar. Ainda que a quantidade do fungo, chamado Malassezia globosa, esteja aumentada nas pessoas com caspa, ele não é transmissível.
Ademir Júnior, dermatologista

“Mitos e verdades”
Certo:
existem alguns mitos com relação aos hábitos que interferem no surgimento da caspa. Lavar a cabeça todos os dias ajuda na remoção de agentes poluidores e da oleosidade. O ato não propicia o surgimento da dermatite seborreica, como prega a crendice popular. Escovas progressivas e tinturas também não desencadeiam o problema, mas podem causar irritação e descamação, muitas vezes confundida com a caspa.

Errado: ignorar o problema e não manter o tratamento anticaspa ao longo de todo o ano. Estudos clínicos mostram que tanto a presença das escamas quanto do fungo contribuem para a piora do quadro. Onde o ar é frio e seco, os flocos de caspa parecem mais brancos e, por isso, mais aparentes. No entanto, a maioria dos casos é relatada nas estações quentes, em que há maior proliferação do fungo.
Denise Steiner, dermatologista

“Sintomas comuns”
Certo: os principais sintomas associados à caspa são descamação, irritação, inflamação, couro cabeludo ressecado e prurido capilar. Mas nem sempre a coceira significa caspa. Para um diagnóstico preciso, é necessário identificar a proliferação do fungo desencadeador da doença.

Errado: a coceira é um dos sintomas da caspa, podendo piorar em decorrência de fatores como frio ou estresse. Mas deve-se evitar coçar a cabeça, pois isso irrita o couro cabeludo e agrava o problema.
James Schwart, pesquisador da Procter &Gamble

“Produtos especiais”
Certo:
muitos casos de caspa podem ser combatidos com o uso de xampus e condicionadores de tratamento. Esses cosméticos são formulados com substâncias que agem diretamente no fungo causador, combatendo-o e diminuindo a tendência à inflamação.

Errado: deve-se evitar a substituição de xampus de tratamento do couro cabeludo por cosméticos antirresíduos. Eles são adequados para remover resíduos do fio,  não do couro cabeludo, e podem ser usados duas vezes por semana, de acordo com o tipo de cabelo e os hábitos de cada cliente.
Daniel Fernando, hairstylist do salão Tez

* Dado retirado de um estudo realizado pelo instituto Nielsen em fevereiro de 2010.

Deixe um comentário:



Buscar

Notícias

Newsletter

Assine e receba as novidades da revista em primeira mão.



Publicidade


Revista Cabeleireiros.com

Login Cadastre-se