Matéria da Revista Cabeleireiros.com - Edição 31

ImprimirGerente de salão: ter ou não ter?

Avalie: 12345

Saiba quais são as funções desse profissional e avalie se ele pode – ou não – ajudá-lo no desenvolvimento do seu salão

Osvaldo Alcântara (consultor de negócios)


Osvaldo Alcantara (consultor de negócios)Atualmente, os clientes que freqüentam salões de beleza estão mais informados e seguros dos serviços que desejam fazer. Com essa mudança de postura, os profissionais e os estabelecimentos que trabalham com beleza precisam buscar a excelência na prestação de serviços.

Nesse panorama, um dono de estabelecimento pode se tornar um problema para o sucesso do negócio. Caso seja cabeleireiro, é fundamental decidir se irá desempenhar o papel de empresário ou de artista profissional. No início, pode acreditar que é possível ter ambas as funções, mas não é. Algumas situações justificam essa negativa. Quando estiver atendendo um cliente, não estará disponível para observar os problemas que ocorrem no salão e não atenderá os vendedores com a atenção ideal.

Assim, é necessário decidir se deseja ser um empresário cabeleireiro – que tem outros funcionários para administrar o salão – ou um cabeleireiro empresário – que atende os clientes e acumula funções administrativas.
Mas qual é o melhor caminho? Acredito que é importante contratar alguém para gerenciar o salão. Realizando todas as funções sozinho, fica difícil para o proprietário fazer o empreendimento crescer, já que ele pode se perder na quantidade de atividades e de informações.

O gerente é o braço esquerdo – e o direito – do proprietário. Entre suas atribuições, estão passar ordens, marcar
reuniões com os funcionários, cuidar para que o atendimento siga as diretrizes preestabelecidas e procurar a excelência no atendimento. Coisas simples e cotidianas, como o atendimento feito na recepção, precisam passar por sua supervisão. Além disso, ele irá verificar os aspectos em que os profissionais podem melhorar e cuidar para que os clientes antigos sejam recebidos como se fossem novos. Sem essa supervisão, não adianta o salão ter grandes profissionais. Ele não irá prosperar.

Quando falo das funções do gerente, não acredito que elas estejam ligadas à arte dos cabeleireiros, mas aos cuidados necessários para que a clientela chegue até a cadeira do profissional satisfeita e bem atendida.
Ao contratar um gerente para o salão, o dono pode ficar receoso de perder a possibilidade de atender os clientes ou fornecedores. Mas isso não é o pensamento ideal. Na verdade, ele terá mais tempo para selecionar seus contatos.

No momento da contratação, o proprietário deve optar por alguém que tenha experiência em gerenciamento e no trato com as pessoas, mas não necessariamente saiba tudo do ramo de beleza. Nesse passo, deve ter ciência de que será necessário moldá-lo de acordo com o que acha que precisa ser feito. Ele não pode pensar em quanto vai gastar com esse novo funcionário, mas no quanto vai lucrar com ele.

A função primordial da pessoa que terá o cargo de gerência é fazer os funcionários auxiliarem uns aos outros e se tratarem como iguais, sem críticas. Pode ser utopia, mas acredito que deva ser assim, pois um salão de beleza nem sempre tem a chance da segunda impressão. Afinal, o diferencial hoje em dia é o atendimento, pois os serviços são feitos de forma semelhante.
 

Deixe um comentário:



Buscar

Notícias

Newsletter

Assine e receba as novidades da revista em primeira mão.



Publicidade


Revista Cabeleireiros.com

Login Cadastre-se