Matéria da Revista Cabeleireiros.com - Edição 29

ImprimirInformação e valorização

Avalie: 12345

Público se exercita durante o congresso1º Congresso de Manicures, promovido pela Impala, foi um grande sucesso de público 

texto: Márcia Britto
fotos: Moisés Moraes

O 1º Congresso de Manicures da Impala, realizado em 2 de junho, teve grande êxito. As inscrições se esgotaram na primeira semana de divulgação. E, no dia, o auditório do Novotel, em São Paulo, que tem espaço para cerca de 600 pessoas, permaneceu lotado. 

O resultado foi tão satisfatório que a diretora de marketing da empresa, Marina Cabral, confirmou a realização de outros congressos de manicures. “O próximo será no interior de São Paulo. Posteriormente, faremos por todo o País”. A cidade que vai sediar o segundo evento será definida em breve. 

A realização do congresso foi motivada pela carência de informações dos profissionais do setor, percebida pela Impala com a criação do Clube da Manicure (ver box na página ao lado), há quatro anos. “Descobrimos que a manicure não tem informações básicas sobre sua profissão, tanto que um dos maiores anseios da categoria é saber como é feito o esmalte”, afirmou Marina. A fim de abastecer as manicures com informações, o congresso abrigou várias palestras. 

Ginástica laboral no ambiente de trabalho 
Proferida pela fisioterapeuta Aline Cristina Ferro Munhoz, que atua no desenvolvimento de projetos destinados à fisioterapia do trabalho, a palestra mostrou técnicas para prevenir ou amenizar problemas e doenças crônico-degenerativas causadas pela repetição de movimentos e pela falta de orientação adequada. Ao final da apresentação, Aline fez uma série de exercícios de alongamento e relaxamento, sugerindo que eles fossem repetidos no dia-a-dia. 

Esterilização: o que é correto? 
O tema foi abordado pela socióloga e educadora da rede de saúde pública Sônia Maria Lagoa, que fez advertências sobre a transmissão de doenças pelos objetos usados no dia-a-dia e ensinou como evitar essa possibilidade. 

Identificação de produtos – A primeira orientação foi quanto à identificação dos líquidos em diversos potes. “Além do nome do produto, deve ser colocada a data em que ele foi transferido para o recipiente. Após saírem da embalagem original, alguns líquidos, como o álcool, têm a validade reduzida para sete dias”, alertou. 

Higienização – É necessário higienizar todo instrumento de trabalho. Artigos de plástico precisam ser lavados com água e sabão em local exclusivo. Caso não seja possível, a pia
usada na limpeza precisa ser lavada logo depois de utilizada. A atividade deve ser realizada com luvas de borracha. 

Instrumentos de Metal – Esterilize-os na autoclave ou na estufa comum. Na autoclave, basta embalá-los nos plásticos próprios e esterilizá-los. Na estufa, o controle da temperatura deve ser feito com termômetro de bulbo. É necessário atingir 170º C, aguardar uma hora e desligar. Nesse período, a estufa não pode ser aberta. A esterilização vale por sete dias. Depois desse período, precisa ser refeita, mesmo que os materiais não tenham sido usados. 

É importante manter atualizada a manutenção dos equipamentos de esterilização para que o processo não sofra algum tipo de alteração. Além disso, em virtude do trabalho que exercem, as manicures podem ser vacinadas gratuitamente nos postos de saúde contra tétano e hepatite B, doenças que podem ser transmitidas durante a manicuração. 

Doenças de unhas: o que falar para a cliente? Quando alertá-la? 
O dermatologista Luiz Roberto Terzian exibiu fotos de unhas comprometidas por doenças e pediu às manicures que orientassem as clientes que têm alguma anomalia na região a procurar um especialista. Além do risco de contágio, a tentativa de higienização pode agravar o problema. 

A descoberta de doenças na fase inicial, como em casos de câncer, que pode se manifestar com o surgimento de uma mancha preta na unha, proporciona mais chances de cura. É importante, também, perguntar se o cliente tem diabetes, pois não é possível uma identificação visual da doença. Os diabéticos têm a sensibilidade reduzida e, mesmo se forem machucados com o alicate, podem não perceber, o que acaba transformando um simples corte num transtorno maior. 

Situação comum nos salões é a tentativa de corrigir unhas encravadas. “Esta anomalia pode ser provocada por má formação dos ossos e de nada adiantará a manicure tentar corrigi-la. O ideal é sugerir uma consulta com um podólogo”, diz Luiz. 

Esmalte: cor e moda como tendências da estação 
A especialista Patrícia Porta, idealizadora do Clube da Manicure Impala, não só falou das cores da moda para o outono-inverno como adiantou as tendências para a primavera-verão. 

Cinza, marrom, azul-escuro e dourado são hits. A dica é usar uma camada de brilho. As cores das mãos e dos pés continuam diferentes, não vale mais a regra de que devem ser pintadas com a mesma cor. Para a primavera-verão, a sugestão é apostar no dourado, nos tons pastel, nos metalizados e nas unhas decoradas de forma bem delicada. 

Reciclagem profissional: como manter seu espaço prático e organizado 
Márcia Castellani, professora de unhas artísticas, destacou a importância da organização do salão e da boa apresentação profissional. Segundo ela, a manicure deve manter os cabelos arrumados, usar maquiagem básica e ter as cutículas feitas. Isso é a condição ideal para conquistar o respeito do cliente e ser bem recebida em qualquer lugar. A profissional também não deve abrir mão do uso de luvas e de máscara. Essas são formas simples de evitar o contágio de doenças e se proteger do pó das lixas e do cheiro de esmaltes e removedores. 

Alguns cuidados básicos podem ter um efeito enorme na aparência do salão e na conservação dos produtos. Um vidro de esmalte com restos do produto nas bordas causa uma impressão de desleixo. A limpeza pode ser feita rapidamente com um pouco de removedor. Também é comum encontrar vários recipientes de esmalte “derrubados” em grandes caixas. Os esmaltes duram mais quando são mantidos em pé

Clube da Manicure O Clube da Manicure Impala foi criado há quatro anos. Os profissionais cadastrados recebem um jornal que informa sobre tendências de moda, saúde e cursos de aperfeiçoamento. Além disso, todas as segundas-feiras os associados podem visitar a sede da empresa, conhecer a fábrica, participar de workshops e fazer compras na lojinha dos funcionários. Cerca de 12 mil manicures
passaram por lá. O clube tem mais de 25 mil profissionais cadastradas. Para fazer parte dele, basta entrar em contato com a Impala pelo telefone 0800-7027277 ou pelo e-mail sac@impala.com.br.

Negócios 
Durante o Congresso de Manicures foi anunciada oficialmente a venda da Impala para a Mundial, empresa brasileira líder na fabricação de produtos de cutelaria (alicates de cutícula, facas forjadas, talheres e tesouras, entre outros produtos). O negócio, conforme a diretora de marketing da Impala, Marina Cabral, “vai aproximar a Mundial do consumidor e aumentar a distribuição da Impala”.

Galeria de fotos:

  • Apresentadora Íris Stefanelli e a diretora de marketing da Impala, Marina Cabral
  • Márcia Castellani
  • Aline Cristina Ferro Munhoz
  • Público se exercita durante o congresso
  • Sônia Maria Lagoa
  • Luiz Roberto Terzian

Deixe um comentário:



Buscar

Notícias

Newsletter

Assine e receba as novidades da revista em primeira mão.



Publicidade


Revista Cabeleireiros.com

Login Cadastre-se