Matéria da Revista Cabeleireiros.com - Edição 6

ImprimirIvan Stringhi - A essência de um vencedor

Avalie: 12345

Dono de um grande carisma, Ivan Stringhi conquista a todos com seu brilho, que o faz tão especial. É uma unanimidade no segmento da beleza como exemplo de profissional e ser humano.

Um vencedor. Assim é o hairstylist Ivan Stringhi, pela sua trajetória.
Filho de militar, aos 13 anos resolveu fugir de casa para ser cabeleireiro. De Flores da Cunha (RS), sua terra natal, parte com um destino traçado na cabeça: São Paulo. Na mala, apenas o desejo de vencer.

Fugiu de casa pegando carona, conseguindo chegar até Curitiba. De lá continuou até o Km 31 da rodovia Régis Bittencourt, onde ficou trabalhando como garçom, num restaurante-hotel. Na época, por ser menor, era vigiado dia e noite pelo patrão e chegou a ser promovido para o cargo de gerente. Mesmo assim, fugir para São Paulo era seu objetivo.

A oportunidade surgiu quando recebeu o convite de uma cliente para ser garçom em um salão de São Paulo gerenciado por ela. Colocando em prática seu plano de fuga, fez alguns furinhos no porta-malas do carro de um cliente, que iria para São Paulo. Escondido no porta-malas conseguiu chegar ao seu destino: a capital paulista.

Sem dinheiro e sem conhecer ninguém na cidade, Ivan encontrou o salão fechado. Seria inaugurado uma semana depois. Contou com a ajuda de um porteiro que, durante uma semana, permitiu que ele dormisse no vão de uma escada e dividia com ele sua marmita.

Ivan começou a trabalhar no salão, onde era uma espécie de faz-tudo, menos o que realmente queria: ser cabeleireiro. Essa atividade era feita à noite, no próprio salão onde ele também dormia, escondido da gerente, que não demorou em descobrir seu “trabalho” noturno. Foi demitido na hora (4 horas da manhã) com todos os seus pertences jogados na rua, sem receber um centavo.

Mais uma vez Ivan estava na rua e sem dinheiro. Dali foi para um bar onde sentou, procurando uma solução. E encontrou. Entra Roni, maquiador do salão La Femme, convidando-o para ser seu assistente e morar com ele. Era um novo começo. Não chegou a ser assistente de maquiagem e sim de cabeleireiro, no Salão Colonial, no Shopping Iguatemi.

Aos 16 anos conseguiu, pela primeira vez, trabalhar como cabeleireiro no salão Emílio Crespo, próximo à Faria Lima. Assim teve início sua trajetória de sucesso. Em 1978 já tinha o seu próprio salão. Serviu à Aeronáutica durante seis meses e depois concluiu o curso de Direito.

Quando adquiriu estabilidade financeira e reconhecimento, inquieto, decidiu vender tudo: o salão, uma boutique, uma confecção e uma oficina mecânica, e partiu para o Canadá com seu irmão.

De início, muitas dificuldades até começar a trabalhar como cabeleireiro, no Salão Metropolis for Hair do italiano Felippe Capobiano. “Trabalhava e recebia um pagamento mínimo por semana. Servir às pessoas é a melhor coisa que existe e eu comecei a servir. Não há coisa melhor que servir”, diz Ivan. Em pouco tempo já era o melhor faturamento do salão. Com um ano de trabalho e já com a licença para exercer a profissão legalmente, foi para o Capo´s, onde fez sua clientela e abriu seu salão, o Ivan´s Hair Studio, que o proprietário do Capo´s fez de tudo para fechar. Não conseguiu e Ivan também passou a dar consultoria para produtos, como Redken e Sebastian. Campeão de vendas, era um exemplo para os salões. Foi a Joico que incentivou sua volta para o Brasil em 1991.

Novamente em São Paulo, comprou um salão no Itaim e passou a trabalhar com a Lanza, onde foi diretor técnico e artístico durante quatro anos, além de implantar a empresa no país. Depois trabalhou no Jacques Janine Lopes, no Shopping Morumbi, onde comprou uma franquia da rede, em sociedade com Mário Merlino e Vilma Ribas. A amizade com Mário cresceu e ele vendeu sua parte para trabalhar com o amigo.

Atualmente, comanda a empresa IS Consultoria, atende no salão L´equipe, é proprietário de um salão em Miami e outro no Canadá. Além de ser consultor internacional da Taiff, faz consultoria de produtos, revistas e salões; participa de shows e eventos e é presidente do Projeto Tesourinha, fundado por ele.

O Tesourinha foi criado por Ivan em 1992, com o objetivo de promover a capacitação profissional e o desenvolvimento pessoal de jovens e adultos carentes, buscando colocá-los no mercado de trabalho como cidadãos responsáveis e pró-ativos, na construção de uma sociedade mais justa e fraterna. Em 11 anos, o projeto capacitou 4.000 pessoas, beneficiando mais de 6.000 famílias. “Depois de viver tanta coisa, hoje o que me emociona é o agradecimento da mãe de um “tesourinha”, um mendigo que tirei da rua e hoje trabalha num salão”, confidencia.

Este é Ivan Stringhi. Verdadeiro e extremamente humano, dono de um espírito empreendedor, que se destaca pela solidariedade. Venceu o preconceito do pai, que pela sua influência também ingressou na profissão, assim como seus irmãos que, entre cinco apenas um não é cabeleireiro. O filho, Ivan Tsutomu Murakami Stringhi, segue os passos do pai trabalhando com ele. “Outro pai, estragaria tudo”, diz o filho com admiração.

Frase: Uma gota gera uma onda
Lugar: Paris, França
Filme: Ghost
Livro: O Príncipe, de Maquiavel
Música: Cavalgada, de Roberto Carlos
Cantor: Bob Marley
Comida: Saladas e carne grelhada
Bebida: Água e vinho tinto
Defeito: Ser muito bom
Qualidade: Energia
Pessoa: Minha mãe
Ivan por Ivan: Sonhador, batalhador, feliz por poder trabalhar e ter fisicamente e mentalmente a possibilidade de acordar e fazer alguma coisa por alguém. Poderia ser o cabeleireiro mais famoso do mundo, mas se não pudesse ajudar ninguém, eu não seria nada.

Deixe um comentário:



Buscar

Notícias

Newsletter

Assine e receba as novidades da revista em primeira mão.



Publicidade


Revista Cabeleireiros.com

Login Cadastre-se