Matéria da Revista Cabeleireiros.com - Edição 23

ImprimirLú Ramos: um profissional completo

Avalie: 12345

Bastava um pingo de tinta para Lú Ramos transformar em arte. Entre desenhos, pintura, rabiscos e brinquedo, o profissional descobriu seu talento para a moda e hoje dedica toda sua sensibilidade para cuidar da beleza alheia.

Tem pessoas que só decidem com o que vão trabalhar quando já estão para lá dos 18 anos, existem outras que fazem escolhas erradas, mas, em compensação, têm algumas que parecem já nascer sabendo o que querem da vida. É o caso de Lú Ramos, que, com muito amor e dedicação ao trabalho, conseguiu reconhecimento profissional e hoje é um dos beauty stylists mais conhecidos do mercado da beleza. Só para se ter idéia, ele já fez a cabeça e o rosto de Aline Moraes, Adriana Esteves, Juliana Paes, Ana Paula Arósio, entre muitas outras celebridades. E por que beauty stylist? Simplesmente, porque ele é um profissional completo. “Não sei fazer maquiagem sem pensar no cabelo. É como um casamento de espírito e matéria”, afirmou.

O interesse pela beleza começou na infância. Nascido em Maceió, Alagoas, ainda garoto já vislumbrava que seu negócio era mesmo a arte. Não tinha exatamente a certeza da profissão, mas o sangue artístico já corria pelas veias. Como qualquer criança, Lú Ramos gostava de assistir desenhos animados, estar com brinquedos e tinha gosto por bonecas, talvez porque elas transmitam um pouco da beleza feminina, ainda ingênua.

Autodidata, jamais precisou de um curso para aprender a desenhar. “Sempre gostei muito de rabiscar, desenhar e pintar. Um dia, minha tia, que era artista plástica, me deixou no ateliê dela, utilizando suas tintas. Eu desenhei por horas”, relembrou.

E como ele aprendeu a fazer maquiagem? Observando! Ele usou seu dom e o gosto pelas cores para tudo o que sabe até hoje. Lú Ramos costumava observar sua mãe e irmã se embelezarem todos os dias. “Minha mãe colocava bobes no cabelo, se maquiava, sempre com um batom vermelho e depois escovava o cabelo deixando-o ondulado. Já a minha irmã escovava as longas madeixas loiras ou então fazia uma trança. E não saia de casa sem o blush”, lembrou.

A família de Lú Ramos percebeu a forte ligação do garoto com a arte e achou que ele queria ser arquiteto. Afinal, ele adorava desenhar. Já com seus 17 anos, os pais o colocaram para estudar Arquitetura. “Eu tentei, mas depois de uns 6 meses vi que não era nada daquilo que eu queria”, afirmou. Foi quando ele decidiu seguir a teoria de que tudo o que é escondido dá mais prazer. Convidado pela tia artista plástica, ele procurou um curso de moda, no Senac, e começou a estudar. E pasmem: escondido da família. “Meu pai me deixava todo dia no colégio e eu já não estudava mais Arquitetura. Já fazia moda no Senac”.

Foi nesse curso, que teve duração rápida, que Lú Ramos se encontrou profissionalmente. Antes mesmo de se formar, ele já fazia a cabeça das amigas. “Elas me pediam para cortar os cabelos e iam às festas com cortes modernos, estilo de revista. Eu olhava uma foto, pegava qualquer tesoura e cortava. Também fazia as maquiagens. Uma falava para a outra e assim fui fazendo minha história”, contou.

Depois da faculdade de moda, ele conseguiu um emprego no shopping e trabalhou para as principais grifes: Fórum, Zoomp, M.Officer, Triton, Mercearia e Hugo Boss. Mesmo trabalhando bastante, o jovem profissional da beleza encontrava tempo para dar consultoria e fazer make. “Nessa época, minha família já sabia que eu tinha estudado moda e abandonado a Arquitetura, pois minha tia contou a verdade. Sabiam também que eu trabalhava no shopping, porém não imaginavam que eu já maquiava. Eu tinha uma agenda cheia, pois meu gerente me dava uma força muito grande. Quando aparecia um casamento ou uma festa, ele sempre me deixava fazer o make”, comentou.

Tem momentos em que a maioria dos jovens tomam decisões para se libertar da pressão familiar, e não foi diferente para Lú Ramos. Em meados de 94, já com quase 19 anos, ele fez um desfile da Iódice em Maceió (AL) e quem assinou foi Duda Molinos. “Ele viu meu trabalho e me perguntou o que eu ainda estava fazendo lá. Queria que eu fosse embora com ele para São Paulo. O Duda dizia que eu tinha um domínio sobre maquiagem e cabelos. Eu sabia do meu dom, mas meu pai não me deixou sair de Maceió”, contou, lembrando que o contato com Duda foi permanente. Essa foi só a primeira tentativa do jovem sair de sua terra natal. Uma nova oportunidade veio no ano seguinte, quando fez o desfile para O Boticário e quem assinava era Celso Kamura. Ele também tentou levar Lú Ramos para São Paulo, que mais uma vez teve o sonho adiado.

Já no auge de seus 24 anos, teve uma nova chance de conhecer a megalópole brasileira. E dessa vez pelas mãos de Paulo Martinez, na época, editor de títulos famosos de revistas. Paulo estava em Maceió assinando o desfile de Renato Loureiro e Alexandre Herchcovitch e Lú Ramos foi o responsável pelo make. “Ele também me convidou a sair da minha cidade e, nesse momento, já com 24 anos, com tanta pressão da família e da própria cidade, eu resolvi tentar. Eu já era muito conhecido, porque fazia todos os desfiles de Maceió, cuidava das celebridades, da primeira-dama. Fazia tudo”, pontuou.

Lú veio para São Paulo depois que juntou um dinheiro e quando chegou à capital contou com a ajuda dos amigos que antes haviam valorizado seu trabalho, Duda, Paulo e Celso. Logo de cara, fez a cobertura do Morumbi Fashion, na época ainda não era São Paulo Fashion Week. Acompanhado por grandes nomes da beleza, ele foi apresentado para o mundo da moda. “Eles me abriram portas e eu fui muito bem aceito. Cheguei em 98 em São Paulo, fiz vários trabalhos e depois já fui para agências. Passei pela Angel e pela Molinos”, comentou. Hoje, o beauty stylist tem seu próprio escritório, com uma equipe de trabalho e conta com vários parceiros de ponta.

O mundo da beleza traz glamour, eleva a auto-estima e mexe com sentimentos. E os profissionais são também um pouco psicólogos da beleza. Eles ouvem a cliente, seja ela uma simples mulher, até uma top, dão uma palavra de conforto em horas de necessidade, recuperam o astral da pessoa e depois a transformam. “Lidar com arte é ter sensibilidade. A mulher sabe que vamos atendê-la da melhor forma e que falaremos algo bacana. Nós juntamos um pouco desse lado psicólogo com a arte. Bato um papo e depois cuido da beleza. Tenho várias histórias que escutei e acabei ajudando com esse lado psicológico”, disse.

E hoje, como Lú Ramos enxerga tudo o que já passou? Com emoção. “Inclusive, fui passar minhas férias em Maceió, vi amigos de infância e as clientes que eu fazia antes. Vi que estou vencendo e, assim, continuo lutando. A partir do momento que você pára de lutar, acaba um sonho. Um homem sem sonho não é mais nada. Para mim ainda é inacreditável, pois sempre acho que acabei de chegar em São Paulo, mesmo estando há 10 anos aqui. Eu sou muito cheio de energia e olhar para trás é ver a soma da energia que eu trouxe e busquei, sempre contando com pessoas que acreditaram em mim. Sou muito feliz com a minha profissão e arregaço as mangas para ajudar qualquer pessoa que queira seguir pelo mesmo lado. O importante é você realizar seus sonhos”, concluiu

Deixe um comentário:



Buscar

Notícias

Newsletter

Assine e receba as novidades da revista em primeira mão.



Publicidade


Revista Cabeleireiros.com

Login Cadastre-se