Matéria da Revista Cabeleireiros.com - Edição 46

ImprimirMake-up definitivo vale a pena?

Avalie: 12345

maquiagem_definitiva (1)A micropigmentação, conhecida como maquiagem definitiva, tornou-se um trunfo para quem quer corrigir falhas no rosto e no corpo

texto: Eder Garrido | fotos: divulgação Lu Rodrigues e divulgação Payot

Que atire a primeira pedra a mulher que nunca pensou em como seria maravilhoso acordar com a maquiagem pronta, dispensando aquela mão de obra tão conhecida do dia a dia. Ou, então, com um make-up que corrigisse aquelas falhas que tanto sabotam o visual. Impulsionadas por esses desejos, muitas clientes recorrem à maquiagem definitiva – ou micropigmentação –, técnica que corrige e acentua traços naturais do rosto e de outras partes do corpo.

Procurada principalmente por mulheres, a maquiagem definitiva deposita pigmentos (corantes) na camada subepidérmica da pele com o auxílio de um dermógrafo e de agulhas apropriadas. “Como são colocados em uma camada superficial da pele, os pigmentos sofrem desgaste com a cútis”, diz Alex Cardoso, make-up artist do Espaço Be, de São Paulo.

Entre os casos de aplicações mais comuns do método, estão a correção de sobrancelhas finas ou desiguais; de lábios desproporcionais, sem cor ou muito finos; camuflagem de certos tipos de cicatrizes, cobertura de manchas brancas ou de vitiligo estacionário de pequenas dimensões e repigmentação do complexo aureolomamilar (mamilo) pós-intervenções cirúrgicas.

A proposta não é modificar o formato natural dessas áreas, e sim realizar correções que devolvam a beleza. Como o processo é realizado com agulhas, antes de iniciar o procedimento, aplica-se um anestésico no local para evitar incômodos. A cicatrização dura cerca de oito dias, variando de pessoa para pessoa. Com os devidos cuidados, a crosta sairá naturalmente, levando ao clareamento de cerca de 50% da cor do pigmento. Caso ocorram falhas, um retoque é realizado 20 dias depois da primeira aplicação.

maquiagem_definitiva (2)Para quem acha que micropigmentação e tatuagem são a mesma coisa, Alex esclarece: na primeira, o pigmento é depositado na epiderme – a primeira camada da pele –, causando uma lesão superficial. Uma vez que a epiderme sofre regeneração constantemente, a lesão não se torna maior mesmo após seu retoque. Já na tatuagem, o pigmento fica na derme, o que leva a uma lesão mais profunda e a uma consequente cicatriz, por causa da agressão das fibras de sustentação que compõem essa camada.

O resultado da maquiagem definitiva dura, em média, 18 meses. Após esse período, a pigmentação fica mais clara, havendo a necessidade de reavaliação e, se necessário, de retoques para a acentuação da cor e do traço. Para não comprometer a fixação do pigmento, alguns cuidados são recomendados por até oito dias, como:

• lavar o local com água e sabonete neutro;
• evitar coçar a pele com as unhas;
• não tomar banho de mar ou piscina;
• evitar exposição ao sol, água quente, sauna e vapores;
• não levantar a crosta formada precocemente.

Cuidados importantes
A micropigmentação não é recomendada em gestantes e diabéticos. Pessoas com neoplasia, hipertensão, herpes, verrugas e patologias oculares devem procurar um médico para obter o aval antes de iniciar o procedimento, que depois de liberado dispensa qualquer tipo de preparação especial. “Não costumamos realizar testes antes do serviço, mas, se o cliente não estiver seguro, podemos fazer um teste na parte de trás da orelha para avaliar a cicatrização”, explica Alex. Ele ainda destaca a importância de explicar previamente tudo o que vai ser feito, inclusive o período
de descamação e o tempo de duração do efeito na pele.

maquiagem_definitiva (3)De acordo com a dermatologista Christiana Blattner, são raros os casos de alergia em pessoas que se submetem à maquiagem definitiva. “Para evitar problemas, é importante procurar uma clínica ou salão especializado na técnica”. Mesmo com esse cuidado, é necessário fazer um desenho prévio no local onde a intervenção será realizada, para que o cliente tenha certeza do resultado.

Cristiane Pasquini, técnica na área, afirma que fatores como formato de rosto, tom de pele e estilo do cabelo também devem ser analisados. Dessa forma, escolhe-se o pigmento de tonalidade ideal para obter um resultado natural e harmonioso.

Não gostei. E agora?
Uma grande preocupação de quem já fez ou pretende se submeter à micropigmentação é vê-la desbotar e ter de sair por aí com traços azulados e esquisitos. “Com o tempo, a maquiagem vai se apagando, mas sem alteração de cor. O efeito azulado acontece quando há mistura de produtos, feita de forma irregular por quem quer baratear o procedimento”, alerta Cristiane. Para quem passa por essa saia justa, é recomendada a neutralização da cor, em que são aplicados pigmentos que revertem o quadro.

Se, mesmo não mudando de cor, o resultado não agradar, vale a dica de Marília Jordão, do Espaço Valenttina: “Pode-se realizar uma remoção a laser ou uma camuflagem, feita com pigmento cor de pele”. A camuflagem é um desdobramento da maquiagem definitiva e pode ser aplicada em outras partes do corpo para disfarçar estrias. Geralmente são necessárias três sessões para a retirada completa da maquiagem definitiva, mas o resultado é satisfatório.

Galeria de fotos:

  • maquiagem_definitiva (1)
  • maquiagem_definitiva (3)
  • maquiagem_definitiva (2)

Deixe um comentário:



Buscar

Notícias

Newsletter

Assine e receba as novidades da revista em primeira mão.



Publicidade


Revista Cabeleireiros.com

Login Cadastre-se