Matéria da Revista Cabeleireiros.com - Edição 22

ImprimirManicure: a porta de entrada do salão de beleza

Avalie: 12345

Esta profissional é essencial no dia-a-dia e pode ser a melhor marqueteira dos serviços de um salão

Osvaldo Alcântara(Consultor de negócios)

O que mais tenho visto no mercado da beleza é o crescimento profissional das manicures. Sou do tempo que no salão se dizia que manicure era uma desgraça necessária e, quando conversava com uma delas, perguntava: o que você faz da vida? Ela baixava a cabeça e dizia: sou manicure. Mas, notava-se a vergonha da profissão que exercia.

Naquela época, se a pessoa não soubesse o que fazer da vida optava por ser manicure. Porém, felizmente, hoje este conceito mudou. A profissional é uma figura essencial no salão de beleza.

Tenho observado nos festivais pelo mundo afora, o crescimento da área de unhas. Antigamente, nestes eventos apenas 10% eram dedicados a esta área, hoje, as manicures ocupam 70% do espaço. Inclusive, somente no Brasil os salões de beleza possuem manicure e pedicure. No resto do mundo, estas profissionais ficam separadas em salões próprios.

Já existem salões, como ‘manicure Express’, que executam somente este tipo de trabalho. Por isso, afirmo que a manicure é essencial. Os donos de salões de beleza e as próprias profissionais precisam entender que elas são as maiores marqueteiras do estabelecimento. Enquanto ela está massageando a mão da cliente, pode também vender os serviços do salão, sendo fundamental para o retorno financeiro do estabelecimento.

Não podemos esquecer que atualmente a manicure não está cadastrada na área de beleza, mas na área de saúde. Desta forma, esta profissional adquiriu maior responsabilidade frente seus clientes.

Nós não falamos mais em cores de esmalte, mas em colorimetria. Para compor um look total é necessário utilizar normas de visagismo. A moda deve estar em harmonia com a cor do cabelo, corte, penteado, vestuário e, finalmente, a cor das unhas.

Existe um órgão que é fundamental para o trabalho das manicures, é a Covisa, que orienta quanto as normas de esterilização, higienização e saúde na rotina diária do salão. Estas profissionais trabalham com muito material cortante, podendo haver uma transmissão de doenças por estes materiais. Por isso, é necessário conhecer todas as informações divulgadas pelo órgão.

Valorização da manicure

Os donos de salões devem dar maior valor às profissionais, incentivando-as a se aperfeiçoarem em workshops, congressos e cursos. Quando elas começarem a conhecer melhor a unha, e inclusive possíveis patologias, elas irão conseguir demonstrar conhecimento.

Conversando com donos de salão, que possuem de 20 a 30 funcionários constatei que, regularmente fazem reunião com seus funcionários. E faço a pergunta crucial: as manicures participam dessas reuniões? Eles me responderam: sabe que eu nunca convidei!

Informações de mercado

As grandes empresas estão notando o aumento de profissionais na área. A Impala tem um jornal chamado ‘Clube da Manicure’ e todo mês manda novidades. A Niasi também fez uma edição especial sobre esmaltes. Já a Colorama fez um folder sobre doenças das unhas e como prevenir. Isso mostra que as empresas também estão procurando e passando informações às profissionais.

Fica o recado: vamos pensar seriamente! Manicures cresçam, aprendam, leiam, estudem para tornarem-se ótimas profissionais.

Deixe um comentário:



Buscar

Notícias

Newsletter

Assine e receba as novidades da revista em primeira mão.



Publicidade


Revista Cabeleireiros.com