Matéria da Revista Cabeleireiros.com - Edição 26

ImprimirManicures - Profissão: beleza

Avalie: 12345

“Mestras” na hora de estilizar e de cuidar das unhas das mãos e dos pés, as manicures são cada vez mais valorizadas nos salões de beleza

Há quem diga que, logo depois do rosto, as unhas são o grande cartão de visita feminino. Talvez seja por isso que o cuidado com elas preocupe tanto as mulheres. Algumas delas preferem estilizá-las em casa, mas a maioria opta por um serviço profissional, realizado em um salão de beleza. Nesse momento, entra em cena uma profissão que é cada vez mais valorizada: a de manicure.

Considerada por muitos consultores de beleza como a “alma do salão” – devido ao contato mais próximos com os clientes, o qual permite a “venda” eficaz dos serviços e dos profissionais do estabelecimento –, a manicure exerce uma atividade que vai além de cuidar das cutículas e esmaltar as unhas: requer conhecimento dos problemas que unhas, cutículas e determinados tipos de pele podem ter. “Uma boa manicure reconhece as fragilidades de cada tipo de unha e verifica as causas da aspereza de mãos e pés. Esse é o campo de trabalho dela; então, quanto mais sabedoria agregar, melhor”, diz Wanda Regina, coordenadora técnica da rede de cabeleireiros Jacques Janine.

É por isso que o atendimento que a profissional fornece aos clientes deve ser preciso e especializado. Quer um exemplo do conhecimento anatômico que a manicure precisa ter? Logo no contato inicial, é imprescindível explicar o tipo de unha. Elas são classificadas de um a três: a primeira é fraca e frágil; a segunda tende a descamar nas pontas; e a terceira é bem forte e ondulada. Por essas e por outras razões, é importante investir na atualização das profissionais e nas técnicas de higiene e segurança, que elas precisam usar diariamente.

SEGURANÇA

No salão de cabeleireiros, beleza, segurança e higiene devem caminhar juntas. Isso porque a maioria dos materiais é compartilhada, e é necessário manutenção impecável e trato todo especial a eles. “Ao fazer as unhas em salões de beleza com material compartilhado, como alicates e espátulas, além da probabilidade de contrair uma micose, corre-se o risco de contaminação por hepatites B e C. Por isso, a higienização deve ser feita principalmente nos materiais; além disso, toalhas e aventais descartáveis seriam as melhores opções”, explica Rafael Sani Simões, médico especialista em doenças infecciosas e parasitárias e gerente médico da Roche.

Wanda Regina explica como todo esse processo é realizado no Jacques Janine. “Além de ter um cuidado especial com os equipamentos, a profissional deve usar luvas descartáveis
em todo o trato com os clientes. Os materiais são lavados com detergente enzimático, desinfetados com solução desinfetante, lacrados e colocados na autoclave por uma hora. Além disso, as toalhas são esterilizadas e tudo é aberto somente na frente da cliente”, assegura.

No quesito segurança, o profissional ou o salão de beleza não devem se sentir ofendidos se, porventura, a cliente levar o próprio “kit de manicure”. “O kit de manicure, composto de alicate, espátula, palito e cortador de unhas, é importante, pois evita uma infecção acidental. No caso dos materiais próprios, a forma de higienização demanda apenas sabão e água corrente”, diz Rafael Simões.

TRATAMENTO VIP

Extremamente importantes, as questões de higienização dos utensílios que serão utilizados no processo de estilização das unhas são primordiais e necessárias. Mas quais são os diferenciais que farão o cliente optar por este ou por aquele salão de beleza? Lixar, cuticular e pintar são os procedimentos de praxe, mas de repente vale optar por fazer esfoliação, gomagem, massagem fisioterapêutica das mãos até os cotovelos. “Se tiver tempo, o trabalho da manicure deve durar cerca de uma hora, mas esse período varia de acordo com cada tratamento. É essencial entender o que se deseja, e não impor o desejo próprio ou se ater a modismos. Para isso, é necessário que a profissional seja comunicativa”, completa Wanda

NOVIDADE

Como atuam como consultoras de beleza das mãos e dos pés, as manicures precisam estar em dia com as novidades do mercado. É por isso que a rede Jacques Janine lançou, em 2007, o novo método alemão de tratamento da marca Alessandro Internacional. Por meio dele, as unhas são estilizadas sem o uso de alicates, oferecendo um verdadeiro “spa” para as mãos. O resultado garante unhas firmes e com brilho natural, pois a cutícula é tratada para que, após a terceira aplicação, não precise mais ser retirada. Ao serem submetidas a esse processo, não é recomendado que as clientes pintem as unhas por dois dias, pois elas ficam tão hidratadas que o esmalte não dura. O processo envolve avaliação, explicação do que vai ser feito, utilização de lixa específica para cada tipo de unha, de lixa de microcristais que selam as escamas e a aplicação de emolientes e hidratantes fortalecedores.

Dez profissionais do Jacques Janine, após treinamento intensivo, receberam o certificado do Artisalus de “Manicuristas”. O próximo passo será a formação desses profissionais em “Nail Design”, outra técnica desenvolvida pela Alessandro Internacional, que utiliza Soft Gel para deixar as unhas 70 vezes mais resistentes e alongá-las sem perder o aspecto natural.

Deixe um comentário:



Buscar

Notícias

Newsletter

Assine e receba as novidades da revista em primeira mão.



Publicidade


Revista Cabeleireiros.com

Login Cadastre-se