Matéria da Revista Cabeleireiros.com - Edição 33

ImprimirO que aconteceu com o formol?

Avalie: 12345

Karin MaiaConheça mais sobre essa substância, que “invadiu” os salões de beleza e virou a arma das mulheres que buscam cabelos lisos

Karin Maia Monteiro (professora de cosmetologia do curso de aperfeiçoamento em cosmetologia e estética capilar da Unicamp)

A grande quantidade de informação a respeito dos riscos da exposição ao formol (ou formaldeído) parece não ter sido suficiente para coibir o uso indiscriminado desse produto nos salões de beleza. Infelizmente, o imediatismo e a falsa ideia de que o cabelo está sendo “domado” têm falado mais alto. Mais e mais produtos surgem e – o mais grave – incluem o formaldeído em sua lista de componentes químicos sem especificar a concentração usada.

O limite permitido como conservante é de 0,2%, conforme descrito na Resolução 162/01 da Agência Nacional de
Vigilância Sanitária (Anvisa). Como agente endurecedor de unhas, a porcentagem é de 5%, de acordo com a Resolução 79/00, no Anexo V. O detalhe é que com a concentração de conservante não é possível obter o alisamento dos fios. Assim, se o produto é destinado ao alisamento capilar e contém formol como componente ativo principal, certamente a concentração está acima da permitida.

3 Comentários:

  1. Foto: Felipe
    Felipe: 29/09/2009 às 15:42
    Na verdade há um grande lobby por trás das grandes indústrias de cosmético. FATO!
  2. Foto: Rosangela
    Rosangela: 09/07/2009 às 16:13
    Nada a adianta tanta proibição se as pessoas não se conscientizarem.
  3. Foto: Luciana
    Luciana: 15/06/2009 às 14:46
    Se o formol é proibido e faz mal por que varias impresas estão vendendo e não são punidas ?


Buscar

Notícias

Newsletter

Assine e receba as novidades da revista em primeira mão.



Publicidade


Revista Cabeleireiros.com

Login Cadastre-se