Matéria da Revista Cabeleireiros.com - Edição 30

ImprimirO valor dos holofotes

Avalie: 12345

Osvaldo Alcantara (consultor de negócios)Conheça as vantagens e as desvantagens de subir a um palco para se apresentar

Osvaldo Alcântara (consultor de negócios)

Chega um ponto na carreira no qual o salão de beleza se torna monótono. Ao se deparar diariamente com a mesma rotina, muitas vezes o cabeleireiro fica aborrecido e pensa que está estagnado.

Quando está nessa situação, apresentar-se em feiras e eventos é uma alternativa para elevar a motivação profissional. Por mais que tenha uma ampla experiência na profissão, o cabeleireiro pode precisar de um palco para melhorar sua auto-estima. Isso porque o hairstylist sai do dia-a-dia para pesquisar tendências, aprender a falar bem e saber como interagir com o grande público.

Caso se comporte no palco de maneira satisfatória, renasce seu ego, e ele retorna ao salão de beleza com os ânimos renovados para conversar com os clientes e demonstrar seu conhecimento.

O profissional que ainda não teve a oportunidade – ou o convite – para se apresentar a grandes platéias não deve deixar de lado esse “sonho”. Como alternativa, é válido proferir uma palestra para dois ou três colegas de trabalho. Aliás, seria interessante se os salões de beleza solicitassem semanalmente a um cabeleireiro que fizesse uma apresentação aos demais funcionários do estabelecimento. Seria um estímulo para que ele pesquisasse sobre a profissão e suas atualidades.

Além disso, ao observar outros colegas trabalhando, os cabeleireiros crescem internamente. Mas se um profissional não participar porque pensa que vai ser criticado, é porque já perdeu o feeling de um bom profissional.

Desvantagens

Mas as apresentações podem ter também desvantagens. Existem cabeleireiros experientes que abandonam os
salões de beleza ao se iludir com as luzes dos palcos. Os profissionais passam a não prestar atenção nos clientes, que se afastam e eles nem percebem.

Por isso, não é indicado viver somente das apresentações e dos holofotes. Os clientes devem ser o foco principal. Viajar para mostrar a arte é muito bom, mas não se pode dar a impressão de que a vida de cabeleireiro é fácil. Não é.

Por mais que se exiba bem e seja procurado para desfiles, o cabeleireiro deve ter claro para si que seu futuro está ligado aos clientes. É importante trabalhar para mantê-los, apesar da visibilidade e do marketing que os palcos trazem. A dica é balancear ambos os trabalhos.

Outro fator de risco é o hairstylist se acostumar a pentear e a maquiar somente jovens e belas modelos, esquecendo-se de que a realidade do salão é diferente. Ali, ele vai encontrar diferentes biotipos e gostos. Arrisco a dizer que são as senhoras que sustentam os salões de beleza. Elas fazem diversos tipos de serviços, e o profissional não pode negligenciá-las.

Como bons artistas, precisamos ser queridos por nossa clientela. Somos aquilo que fazemos. E precisamos acontecer no presente e pensar no futuro.


 

Deixe um comentário:



Buscar

Notícias

Newsletter

Assine e receba as novidades da revista em primeira mão.



Publicidade


Revista Cabeleireiros.com

Login Cadastre-se