Matéria da Revista Cabeleireiros.com - Edição 52

ImprimirOs hits da moda capilar

Avalie: 12345

entrevista_internacional (2)“Hoje, a moda é propor conceitos de corte e cor que combinem com qualquer comprimento e textura dos fios”. É desconstruindo o conceito de moda para o universo dos cabelos que o russo Alexander Kiryliuk construiu seu sucesso. Com 16 anos de carreira, ele faz parte da equipe criativa da Schwarzkopf Professional e mostra os segredos de sua trajetória profissional

fotos: divulgação Schwarzkopf | texto: Liana Pires

Cabeleireiros.com: Hoje, os cortes médios são tendência no Brasil. Esse comprimento é o primeiro passo para fazer que a mulher perca o medo de cortar os fios?
Alexander Kiryliuk:
É importante realizar uma evolução por degraus. Não gosto de falar sobre tendências, porque estas sugerem que todo mundo faça a mesma coisa. Hoje, a moda é propor conceitos de corte e cor que combinem com qualquer comprimento e textura dos fios. Assim, independentemente do tamanho, quando vê o estilo, o cliente vai querer fazer. Além disso, é preciso adaptar o look à rotina da pessoa e à imagem que ela busca passar. Uma professora não fica bem com um visual punk.

entrevista_internacional (5)C.C.: Os penteados certinhos vão ficar de fora do verão?
A.K.:
O estilo messy está na moda. Hoje, cada um faz o que quer no visual. Moro em Barcelona, na Espanha, e lá você vê desde cabelos brilhantes e compridos até os despenteados e com um efeito mate. E ninguém fica chocado com isso. São pessoas livres, mas felizes. A tecnologia dos produtos capilares permite essa diferenciação.

C.C.: Para as mais ousadas, um hit é o corte bem curtinho. As brasileiras estão preparadas para ele?
A.K.:
A androginia faz sucesso nas cidades grandes, que têm multinacionalidades e gente jovem buscando estilos diferentes. As japonesas, por exemplo, usam cortes com linhas marcadas, parecidos com a tendência Future Classic, e bem curtinhos, à lá Tomboys. Já o cabelo brasileiro tem volume e frizz, então é preciso tomar cuidado com essa tendência. Sugiro um corte que permita várias estilizações; assim, ele não assusta tanto. Um franjão lateral, com as laterais penteadas para trás, seguem esse estilo e não são atitudes radicais.

entrevista_internacional (4)C.C.: Para os homens, quais são os estilos que estarão em voga?
A.K.:
Está na moda um look mais clássico, ordenado, como os usados nos anos 1960 e 1970. Os homens estão cansados da desordem do estilo punk. Hoje, a tendência é mais masculina, com fios penteados para trás e menos exagero.

C.C.: As mechas coloridas estão em alta. Quais são os truques para realizá-las sem danificar os fios?
A.K.:
Muitas vezes, elas são usadas por clientes que estão sempre mudando as cores dos cabelos. Então, para diminuir os danos, sugiro o uso de extensões. Aconselho também a fazerem tratamentos de reconstrução profunda no salão e de hidratação em casa. No meu salão, não vendo produtos caros, para que meus clientes tenham acesso a eles e mantenham os fios sempre bonitos. É importante que o cliente use produtos adequados a seus cabelos. Muitos salões ainda os vendem por lucro, e não porque fazem bem para a clientela. Mas guardar as informações e as novas tecnologias como segredo é um absurdo. Seus clientes devem ser seus companheiros. Eles apreciam isso.

entrevista_internacional (1)C.C.: Entre os produtos de finalização, quais são “curingas”?
A.K.:
É fundamental ter um kit com: condicionador, spray, creme e máscara de tratamento. Esses quatro itens ajudam a preparar os cabelos sem deixá-los secos ou oleosos. Além disso, com uma boa preparação, é possível fazer qualquer coisa. Musse é ideal para dar volume à raiz, preparar algo especial. Atualmente, existem produtos suaves, modeláveis, que não deixam um aspecto duro.

C.C.: Você já ganhou muitos concursos. Para obter prestígio, o profissional precisa seguir esse caminho?
A.K.:
Cada cabeleireiro precisa eleger seu talento de acordo com o estilo que quer seguir. Uns são bons para passarela, outros são ótimos no trato com os clientes, e alguns, em concursos. Há profissionais que são deuses no salão, mas se perdem em frente a uma plateia. Meu conselho é que não se baseiem em outras pessoas, mas escutem seus corações. Como educador, aprendi que você não pode mudar seus alunos, mas que é possível ajudá-los a encontrarem seus caminhos e a serem as estrelas em seu nicho.

entrevista_internacional (3)C.C.: Quais são os diferenciais no seu atendimento no salão, o SK Style Barcelona?
A.K.:
O trato com os clientes. Quando uma pessoa chega, eu mostro revistas com look books separados por tendências. Assim, ela pode se inspirar e escolher os looks que mais gosta. Dessa forma, ganho tempo e tenho uma ideia do estilo que está pensando em fazer nos cabelos. Se o que pretende fazer não fica bem, sugiro outra ideia e justifico por quê. O profissional precisa ser aberto, transparente e didático, explicando um pouco do seu trabalho para os clientes.

Deixe um comentário:



Buscar

Notícias

Newsletter

Assine e receba as novidades da revista em primeira mão.



Publicidade


Revista Cabeleireiros.com

Login Cadastre-se