Matéria da Revista Cabeleireiros.com - Edição 51

ImprimirPele renovada

Avalie: 12345

abre_aspasQuais são as precauções para não transformar a esfoliação em agressão à pele do rosto, das pernas e dos pés?

texto: Renata Vieira | fotos: divulgação

Rosto perfeito
Certo:
escolher a técnica de esfoliação de acordo com o tipo de pele e a necessidade dela. São três opções de procedimento: o físico, que utiliza grânulos ou uma esponja e pode ser feito uma vez por semana; o químico, que geralmente usa o ácido glicólico, e o enzimático, pelo qual é aplicada uma emulsão viscosa para abrir espaço entre as células e garantir uma melhor hidratação. A concentração e o tempo de ação variam de acordo com as necessidades de cada cliente.

Errado: aproveitar a indicação de amigos e não recorrer ao diagnóstico de um profissional capacitado. A escolha equivocada do método pode acarretar o efeito “rebote”, ou seja, provocar o oposto do que era esperado. Esfoliar com força uma pele sensível, por exemplo, em vez de garantir uma cútis mais fina e sedosa, pode engrossá-la.
Paula Rieger, esteticista

Pernas lisinhas
Certo:
aplicar o esfoliante de maneira uniforme, fazendo movimentos circulares e suaves, para não agredir a pele. É importante remover completamente o produto após o procedimento, para que resíduos não provoquem irritações ao terem contato com as roupas. Como a região fica sensível, o cliente deve ser orientado a não tomar sol logo em seguida, usar filtro solar e reforçar a hidratação diária.

Errado: começar o procedimento sem uma avaliação prévia da pele. Quando a esfoliação é solicitada, deve-se verificar a textura da derme e a existência de lesões ou feridas, que podem ser agravadas com os produtos. Um erro comum é o exagero. Esfoliar por muito tempo sensibiliza e machuca a região.
Milena de Cássia Ferreira, fisioterapeuta

Pés de boneca
Certo:
realizar o procedimento uma vez por semana com esfoliante físico (produtos que contêm grânulos). Os pés necessitam de mais cuidados com a hidratação do que se tem com o resto do corpo, por apresentarem a pele com maior tendência ao ressecamento.

Errado: utilizar lixa ou “motorzinho” para a esfoliação. Esses materiais retiram mais camadas de pele do que deveriam e deixam a região desprotegida. Outro erro é esfoliar a pele superior dos pés - e em especial próxima às unhas - com a mesma força do que a despendida na sola. Essa região é mais fina, e o procedimento demanda maior delicadeza.
Letícia Calegari, esteticista

Deixe um comentário:



Buscar

Notícias

Newsletter

Assine e receba as novidades da revista em primeira mão.



Publicidade


Revista Cabeleireiros.com

Login Cadastre-se