Matéria da Revista Cabeleireiros.com - Edição 23

ImprimirPrincípios da coloração - parte I

Avalie: 12345

A partir desta edição, estarei descrevendo os princípios da coloração e alguns segmentos e fundamentos interessantes. Tenho certeza que os profissionais, leitores desta revista, irão aproveitar muito estas informações:

Coloração capilar

A coloração capilar é um dos atos mais interessantes de embelezamento usado por homens e mulheres desde as origens do ser humano. A busca por uma mudança na aparência encontrou adeptos em todas as civilizações.

As razões para colorir um cabelo são várias:
• Cobrir os cabelos brancos que começam a aparecer devido a idade;
• Simplesmente trocar a cor natural (mais claro ou escuro);
• Modificar totalmente a cor do cabelo devido um acontecimento ou para externar uma mudança radical na vida.

Sistemas de coloração

Os sistemas modernos para colorir os cabelos se dividem em três categorias e de acordo com a durabilidade dos corantes:

• Coloração temporária: trata-se de colorações que saem de uma a três lavagens e podem ser encontradas nas seguintes formas: xampu, condicionador, mousse, spray ou líquido condicionante. Estes produtos utilizam corantes de elevado peso molecular que atuam como depósitos sobre a superfície do fio, porém sem capacidade de penetrar no córtex.

• Coloração semi-permanente: são colorações que resistem de 6 a 15 lavagens, porém a fixação é mais fraca que a permanente. Os corantes utilizados são geralmente de baixo peso molecular, que possuem boa afinidade com a queratina capilar. A fixação de corantes é feito nas cutículas e suavemente no córtex.

• Coloração permanente: como indica sua denominação, esta categoria proporciona uma eficaz coloração de maior durabilidade, melhor resistência às lavagens e outros fatores externos. Não quer dizer que resista totalmente sem desbotar, pois isso é uma variável das condições do fio antes e depois da aplicação. Este é o sistema mais utilizado, representa pelo menos 80% dos sistemas de coloração.

Neste sistema utilizam-se intermediários de corantes sem cor que, dependendo da combinação, das famílias de intermediários e por uma série de reações químicas produzem a cor desejada no fio. Este processo se dá por oxidação (geralmente com peróxido de hidrogênio).

É por isso que este sistema me fascina. Tudo isso ocorre em torno de um milímetro de diâmetro. É preciso abrir o fio, fazer com que o produto penetre, forme a cor, fixe e depois, através de linhas de manutenções e finalizadores, manter esta cor dentro deste pequeno mundo tubular chamado cabelo.

Até a próxima edição com a continuação desta matéria!

Deixe um comentário:



Buscar

Notícias

Newsletter

Assine e receba as novidades da revista em primeira mão.



Publicidade


Revista Cabeleireiros.com

Login Cadastre-se