Matéria da Revista Cabeleireiros.com - Edição 12

ImprimirSatisfação Garantida

Avalie: 12345

O mestre Osvaldo Alcantara faz um alerta aos profissionais cabeleireiros e destaca os cinco principais mandamentos para o sucesso e reconhecimento profissional.

No início da profissão nosso sonho é ser um grande profissional. Ser um grande profissional não é apenas ter o seu próprio salão, determinado número de clientes, funcionários e um nome reconhecido. Na verdade temos que pensar em várias coisas, tais como:

Primeiro: Conhecer profundamente o que vamos fazer. Seja no corte, penteado, coloração etc.
Segundo: Termos um salão próprio e determinado números de funcionários.
Terceiro: Nosso nome representado na mídia: revistas, televisão, ou qualquer órgão que divulgue nossa ascensão.
Quarto: Saber que entre nós, e nossa equipe, deve existir uma grande união, com muito respeito entre todos.
Quinto: Sermos respeitados e reconhecidos como um amigo entre os colegas. Sem querer ser só uma estrela.

Sem dúvida, estes cinco mandamentos são importantes em nossa profissão. Afinal, quando começamos a aprender verificamos que, em todos os degraus da vida profissional temos que nos espelhar em algum ídolo, ou em alguém melhor em nossa profissão. Este é o princípio para qualquer atividade profissional, pois sem parâmetros é quase impossível sermos vitoriosos. Ao errar, devemos ter em mente que somos passíveis de erros, porém com humildade para reconhecê-los aceitando as críticas de nossos clientes, amigos profissionais ou de qualquer funcionário do salão. Penso que a humildade profissional é o primeiro passo a ser seguido.

Quando estivermos em plena evolução na profissão, realizando o sonho profissional de montar nosso próprio salão, com três ou quatro profissionais para iniciar, não devemos esquecer que para tudo na vida tem que haver: começo, meio e futuro.

Com a fama, alguns, pensando que já são grandes profissionais só porque sabem pegar um pente, uma tesoura, ou até fazer uma simples coloração, abandonam tudo, se acham o máximo, sem nunca terem chegado ao princípio. Um bom profissional tem que trabalhar para crescer e aprender cada vez mais. Deve ir e participar de todos os eventos e workshops que puder. Se possível, deve enviar fotos para aparecer em qualquer tipo de mídia. Mas não esqueça: a mídia pode ser feita no seu salão. Você deve fazer um book particular com seus trabalhos, mostrando nesse álbum o que você é capaz de fazer com os clientes, ou seja, o antes e o depois. A transformação! Pois, folheando esse book, eles ficam sabendo que podem melhorar o visual nas mãos deste profissional. Se não posso estar em eventos, construo minha própria mídia.

Ao concluir um serviço, sempre elogie o cliente. Diga: “Como ficou bom este nosso trabalho! Como você ficou bem!”. O cliente ficará satisfeito com o elogio, e a sua auto-estima irá às alturas. Não faça como muitos profissionais, que após o serviço agradecem e saem de perto do cliente, sem uma palavra de carinho. Assim não existe satisfação. Cuidado ao pensar que, pelo fato dele ser cliente e amigo há muitos anos, não é preciso fazer isto ou simplesmente dizer: “Hoje nós acertamos em tudo”. Esses são os que devem ser mais paparicados. Cliente quer sempre alguma novidade, embora às vezes nem deixe fazer, mas quer conhecer e ouvir a opinião do profissional. E quem sabe, um dia ele poderá até fazer. Vai depender de você, profissional cabeleireiro.

Para montar nosso primeiro salão, sempre contratamos uma equipe com cabeleireiros, manicures, esteticistas, ajudantes etc. Somos donos de alguma coisa pela primeira vez e já nos sentimos o máximo! Quase não conversamos com nossos colegas, apenas criticamos quem está certo ou errado. Não passamos para eles uma das coisas mais importantes: humildade.

Quando somos donos de alguma coisa tratamos de tudo, inclusive dos clientes, como se fôssemos absolutistas. Só nós sabemos tudo, resolvemos tudo e somos tudo. Na verdade, o importante é saber organizar e delegar funções aos subordinados. Não esquecendo que desde o começo de sua vida profissional, e na condição de dono, o princípio é o mesmo: começo, meio e futuro. É triste quando encontramos um profissional bem-sucedido, com um grande nome, e que quando nos vê, a primeira coisa que diz é: “Me formei na escola tal, fiz parte do conselho tal, ganhei o concurso tal”. Como se ele tivesse descido do céu com a incumbência divina de deixar as pessoas mais belas, sem nunca ter recebido conselhos de ninguém na profissão. É extremamente desagradável quando o profissional cresce somente na profissão e nunca na mente.

O segredo de nossa profissão é a união que devemos ter entre todos: profissionais, patronos e empregados. Sem esquecer das firmas do ramo que estão ao lado de todos eles.

Para terminar, um gênio que é reconhecido como gênio por todos, no dia em que pensar ou dizer que é gênio deixará de ser gênio.

Deixe um comentário:



Buscar

Notícias

Newsletter

Assine e receba as novidades da revista em primeira mão.



Publicidade


Revista Cabeleireiros.com

Login Cadastre-se