Matéria da Revista Cabeleireiros.com - Edição 10

ImprimirSeborréia

Avalie: 12345

Geralmente confundida com a caspa seca, sabe-se muito menos sobre seborréia do que outras manifestações cutâneas. Apesar de ser um problema freqüente, que afeta cerca de 3% da população, a maioria desconhece seus efeitos e a sua causa ainda é discutida.

O que é seborréia?

Toda a superfície da pele possui uma camada de gordura, produzida pelas glândulas sebáceas, que é indispensável na sua proteção. Essa gordura ou sebo é que mantém a pele hidratada, evita a perda de água, protege contra fungos e bactérias e assimila a vitamina D. Quando acontece uma produção exagerada de sebo surge a seborréia, também chamada de caspa gordurosa ou dermatite seborréica, que vem a ser uma alteração crônica que provoca inflamação nas áreas da pele onde existe um maior número de glândulas sebáceas. Facilmente diagnosticada por um simples exame visual, a seborréia apresenta uma descamação visível e perceptível de pequenos flocos de células mortas embebidas em sebo. As áreas mais atingidas são: o couro cabeludo, face (sobrancelhas, pálpebras, testa, nariz), região posterior da orelha e região peitoral. Pode aparecer de forma difusa ou localizada e se estender também pela virilha, axila e nádegas. Manifesta-se geralmente através de manchas avermelhadas com escamas amareladas e gordurosas, podendo ou não haver ardência e coceira como também a queda de cabelo.

Possíveis causas

A causa não é conhecida. Talvez seja uma reação do organismo a uma levedura comum da pele, o Pytirosporum ovale, que sobrevive se alimentando do sebo e das células mortas da pele, causando irritação local. Mas, ainda não se chegou a uma conclusão se essa levedura é causa ou efeito. De acordo com as pesquisas científicas, alguns fatores concorrem para o desencadeamento da seborréia. Entre eles: dieta rica em gordura, tensão nervosa (estresse), alteração da taxa hormonal e reação inflamatória a medicamento. O que se sabe de concreto é que qualquer pessoa pode ter seborréia, embora seja mais comum em homens do que em mulheres, apesar de não ser contagiosa e nem estar ligada a nenhum outro tipo de doença. Por ser uma infecção crônica (sem cura) com causa desconhecida, não há como prevenir; apenas controlar os sintomas que podem aparecer e desaparecer ao acaso. Não deve ser considerada uma doença, pois não representa qualquer perigo ao organismo como um todo, embora requeira diagnóstico médico para não ser confundida com outras erupções cutâneas, como a psoríase, rosácea, dermatite atópica ou alguma infecção fúngica superficial.

Combatendo a seborréia

Na realidade, não existe uma forma de prevenir ou combater a seborréia. Por ser crônica, pode se manifestar, mesmo com todos os cuidados terapêuticos, ou permanecer latente e ressurgir após um período indeterminado. Mesmo assim, existem medidas que devem ser tomadas, que auxiliam no controle dos sintomas, embora sem efeito curativo. Primeiramente, a avaliação de um dermatologista que indicará os medicamentos adequados (shampoo, sabonete, cremes etc.) ao uso no combate às crises. Depois de um diagnóstico correto adotar medidas profiláticas no intuito de estabilizar e manter o problema sob controle.

Dicas úteis

- Manter os cabelos úmidos propicia a seborréia.
- Nenhum tipo de shampoo, condicionador ou coloração causa seborréia.
- Não se deve dormir com os cabelos molhados ou úmidos.
- Optar por uma dieta rica em frutas, legumes e verduras.
- Beber, pelo menos, dois litros de água por dia.
- Evitar refrigerantes e bebidas alcoólicas.
- Abolir o fumo.
- A prática de exercícios físicos reduz o estresse que contribui na manifestação da seborréia.
- Cuidados habituais de higiene e uma boa qualidade de vida ainda são os melhores tratamentos para a seborréia.

Deixe um comentário:



Buscar

Notícias

Newsletter

Assine e receba as novidades da revista em primeira mão.



Publicidade


Revista Cabeleireiros.com

Login Cadastre-se