Matéria da Revista Cabeleireiros.com - Edição 31

ImprimirTendências para o verão

Avalie: 12345

Guillermo FloresGuillermo Flores, cabeleireiro e diretor educacional da Joico na América Latina, concedeu uma entrevista exclusiva para a Cabeleireiros.com sobre a coleção Visionaire e as tendências para a próxima estação. Confira as dicas desse profissional, que já teve seus trabalhos publicados em revistas como Salon International, Modern Salon, Hairdresser’s e Caras

texto: Liana Pires
foto: divulgação

Cabeleireiros.com: Quais são as colorações para o verão 2009?
Gillermo Flores: A tradução do nome da nova coleção da Joico é “visionário”. Ela foi inspirada em ícones como Michelangelo e Salvador Dalí, que tinham uma visão além do seu tempo. Foram escolhidas cores primárias e secundárias que, juntas, poderiam se neutralizar e, nessa coleção, não o fazem. Somente uma cabeça visionária poderia juntar cor e corte da forma como foi feito.

C.C.: Essa tendência pode ser facilmente adaptada ao dia-a-dia?
G.F.: Quando uma coleção é apresentada para os profissionais da área, ela precisa ter uma dramaticidade de cores, que obviamente será suavizada para tornar o look comercial.

C.C.: Para o verão, os cortes continuam desconectados ou passam a ser retos e geométricos?
G.F.: Os cortes continuam desconectados, mas respeitam os preceitos do visagismo. Serão usadas várias
técnicas de texturização para suavizar a desconexão, valorizando o formato do rosto. Mechas não-marcadas em pontos específicos, fundos mais escuros e a união de simetria e assimetria serão tendências.

C.C.: Os cabelos curtos terão seu lugar ao sol na América Latina, onde as mulheres preferem fios longos?
G.F.: Em países tropicais, os cabelos curtos deveriam ser tendência, mas pela cultura da mulher latina esse comprimento não é amplamente aceito. Porém, alguns cortes da coleção Visionaire podem ser trabalhados num comprimento maior para adaptar-se à realidade latina.

C.C.: Os homens estão cada vez mais preocupados com a aparência?
G.F.: Isso é uma evolução natural. Hoje, os homens têm menos preconceito e, por disputarem posições no
mercado de trabalho com as mulheres, começaram a se preocupar com a estética e a aparência, sentimento que, antes, somente as mulheres tinham.

C.C.:
Os clientes estão procurando primeiro cabelos saudáveis e depois cortes e cores que sigam a moda?
G.F.: A moda, principalmente televisiva, tem uma influência mais forte do que a saúde. É uma questão de
status, projeção e atitude. A principal preocupação deveria ser a condição saudável dos fios. Afinal, um bom corte ou penteado só aparece e transmite um conceito de beleza se os cabelos estiverem em perfeito estado de saúde. Para isso, também entram em cena os produtos de finalização. Eles valorizam linhas, formas e texturas, permitindo criar vários estilos num único corte.

C.C.: Como os hairstylists devem se preparar para a mudança de postura que está sendo requisitada?
G.F.: Por meio de um curso de visagismo, os profissionais aprendem a valorizar o que é tendência e aliar esse conhecimento ao dia-a-dia dos clientes, para que eles não se tornem personagens surreais

“A moda, principalmente televisiva, tem uma influência mais forte do que a saúde.”

 

Deixe um comentário:



Buscar

Notícias

Newsletter

Assine e receba as novidades da revista em primeira mão.



Publicidade


Revista Cabeleireiros.com

Login Cadastre-se