Matéria da Revista Cabeleireiros.com - Edição 22

ImprimirTrajetória: Marcos Costa

Avalie: 12345

Fascinado pelo mundo da beleza desde menino, Marcos Costa conta como entrou na profissão e se tornou um dos mais famosos e queridos maquiadores do País

Por Yara Guerchenzon
Foto: Ana Fuccia


Nascido em Goiânia, mas paulistano de coração, Marcos Costa é uma daquelas pessoas predestinadas ao sucesso. Vindo de uma família que sempre o apoiou em suas decisões, o maquiador oficial da Natura, há nove anos, é o caçula de quatro irmãos, todos da área médica. Ele, por sua vez, para quem o pai almejava o diploma de advogado, tomou um rumo diferente: o caminho das cores e, com elas, a missão de descortinar a beleza e devolver a auto-estima ao ser humano. Filho adotivo, Costa foi acolhido por sua família aos dois dias de vida: “Sou uma pessoa de sorte”, conta, deixando claro o ambiente de amor em que foi criado.

Apaixonado por seu trabalho, ele explica sua opção profissional: “Sempre tive forte atração pela possibilidade de deixar uma pessoa ainda mais bela e de auto-astral”, revela, tentando lembrar o momento em que decidiu esquecer de vez as bancas de Direito e enveredar pelo mundo da beleza. Não há exatamente um porquê, mas uma coisa é certa: “Não entrei nessa profissão por dinheiro, e sim por amor”, confessa, pra lá de seguro de sua escolha. Uma constatação que pode ser conferida em poucas palavras: “Tenho meu carro, tenho minha casa. Não fiz faculdade. Mas não é porque uma pessoa não é médica nem advogada que não é inteligente, não é verdade?”, pergunta um dos mais famosos maquiadores do País à repórter da Cabeleireiros.com.

“Eu amo maquiagem porque ela colore, ilumina, transforma”. Com essa frase, Costa fecha seu livro “Eu Amo Maquiagem”, lançado em abril de 2006 pela Editora Jaboticaba. Foram três anos, do projeto ao lançamento. Tempo em que o maquiador investiu sua energia para mostrar de forma didática e requintada os seus truques profissionais e muitos de seus trabalhos com celebridades como Camila Pitanga – atriz a quem o profissional atribui o título de “A mulher mais linda do Brasil. Linda por dentro, linda por fora” –, além de Carolina Ferraz e Letícia Sabatella, e das jornalistas da área de moda Constanza Pascolato e Glória Kalil.

Em páginas caprichadas, Costa ensina passo a passo muito do que aprendeu desde os seus 16 anos de idade, quando começou a trabalhar ainda em Goiânia como assistente do cabeleireiro e maquiador Nelson Garcia, profissional já falecido. “O Nelson havia acabado de retornar de uma temporada na Itália e surgiu então a oportunidade para o meu primeiro trabalho”. Nelson teve um papel fundamental da carreira de Costa. Foi ele quem lhe deu o primeiro kit de maquiagem que, inclusive, lhe rendeu uma história inesquecível: “O kit foi roubado num concurso de miss em Goiânia!!!”.
Depois disso, veio o primeiro passo rumo à fama: Marcos montou um novo kit com a ajuda de uma revendedora da Natura e também passou a vender os produtos da marca. Seis meses mais tarde, foi convidado para ministrar cursos de maquiagem no escritório da empresa na cidade, voltados às consultoras. Foi o primeiro contato do profissional com a empresa da qual, anos depois, ele se tornaria o maquiador oficial da marca. Na época, era também consultor de hair e make do principal jornal local, O Popular.

Algum tempo depois, em 1989, resolveu cruzar o Atlântico para ampliar seus horizontes e, assim, foi morar em Paris, onde fez cursos de efeitos especiais e passou a trabalhar em parceria com o fotógrafo franco-suíço Marc Stetller, de quem se tornou o maquiador preferido. Três anos mais tarde, retornou ao Brasil, direto para São Paulo e, rapidamente, fez de novo suas malas, tomando novo caminho, desta vez, para Nova York, onde aproveitou para ampliar seus conhecimentos profissionais.
Na volta ao País, adotou definitivamente São Paulo como sua base, época em que chegou a fazer parceria com Mauro Freire em editorias de beleza e trabalhos publicitários. Em 1995, retomou seu contato com a Natura, ao conhecer duas gerentes de marketing da empresa durante uma sessão de fotos. “Contei a minha história com a Natura, e daí veio o convite para dar cursos, palestras e desenvolver produtos, atividade que se tornou oficial três anos depois”, lembra o mestre, que afirma curtir a chance de se comunicar com mulheres modernas, clássicas, “de todos os públicos”.

Day-by-day

O dia que começa às seis da manhã com aulas na academia de ginástica não é suficiente para Costa dar conta de tantos compromissos que lotam a agenda profissional do maquiador. Prova disso foram os inúmeros desencontros entre entrevistado e repórter até, finalmente, conseguirmos realizar a nossa entrevista. Marcos não tem férias há três anos e trabalha de segunda a segunda. A todo instante, é requisitado para dar o toque mágico com seus pincéis  em catálogos e editoriais de moda e beleza para revistas de grande circulação , realizado nos principais estúdios fotográficos do País, para onde viaja carregando um verdadeiro arsenal de beleza portátil.

E, como maquiador oficial da Natura, o mago dos pincéis cruza este País de Norte a Sul levando seu conhecimento, experiência e carisma aos milhares de consultores da empresa, para quem realiza oficinas de maquiagem que são verdadeiros shows. Platéias numerosas, com cerca de até três mil pessoas, o aguardam ansiosas diante de palcos brasileiros. A aparição é digna de um popstar: em um desses eventos, Costa chegou a descer ao palco por um cabo de aço, envolto em fumaça de gelo seco e luzes coloridas. Espetáculos deste porte são realizados muitas vezes durante o ano, perfazendo uma média anual de 80 mil espectadores, um público heterogêneo que vibra com a simpatia do mestre e a sua facilidade no manuseio dos produtos.
Costa conta que a sua bem-sucedida técnica de automaquiagem foi desenvolvida, na verdade, para ajudar a uma amiga que adorava se pintar, porém, não conseguia nem aplicar direito seu próprio batom. Para ajudá-la, desenvolveu um curso rápido de make-up. Deu tão certo que logo apareceram novas alunas em busca dos seus segredos para uma maquiagem com prazer e sem medo.

“Não basta fazer uma escova e passar um batom. Tem que ter informação”. Frases
como esta Marcos Costa repassa a quem está começando na área. Ou ainda: “A estrela é quem está na cadeira”. É com esse modo de encarar o trabalho, com simplicidade e inteligência, que o renomado maquiador direciona a sua vida, dividida ainda entre muitas leituras, hobby levado a sério: “Leio tudo. De Arquitetura a Política. Devoro jornais diariamente”, conta, revelando os livros que acabou de ler – As cem maiores personalidades do século, Diabo veste Prada e o Código da Vinci – e o que está para começar: Hiroshima. “É preciso ter informação, ver filmes, que são referências para a vida e o trabalho”, conclui o mestre, com seu tom de voz sempre doce e gentil

Deixe um comentário:



Buscar

Notícias

Newsletter

Assine e receba as novidades da revista em primeira mão.



Publicidade


Revista Cabeleireiros.com