Matéria da Revista Cabeleireiros.com - Edição 24

ImprimirVisagismo: técnica e estilo

Avalie: 12345

O domínio técnico é essencial para uma execução artística, mas não é a chave da estilização

Em todas as artes, em todos os tempos, muitos confundem habilidade técnica com a criatividade artística, especialmente na arte visual, na música e no teatro. O virtuose, a pessoa que possui em alto grau a técnica de uma arte, nem sempre é um artista. Aliás, muitas vezes meramente impressiona com sua habilidade, mas faz um trabalho sem sentimento, integridade interpretativa e conteúdo - sem arte e estilo.

Provavelmente, a maioria dos leitores desta revista sabe quem era Wolfgang Amadeus Mozart, mas, poucos devem saber quem era Nicolà Paganini. Ambos eram músicos do século XVIII e compositores. Paganini tornou-se uma celebridade por causa de sua excepcional capacidade técnica de tocar o violino e compôs obras que acentuavam o virtuosismo técnico. Mozart também era um prodigioso intérprete ao piano, mas entrou na história como um dos maiores compositores de todos os tempos, cujas obras são entre as m.ais interpretadas atualmente. Perceba-se que damos muito mais valor ao compositor do que ao intérprete, porque, sem a composição, não há nada para interpretar.

Nas artes visuais vemos milhares de pessoas que possuem técnica: pessoas que sabem pintar, desenhar ou esculpir bem. Nos sites da internet é fácil encontrar obras que impressionam pelo virtuosismo: obras laboriosamente elaboradas, quase fotográficas. Difícil é encontrar trabalhos que nos dão uma nova visão de qualquer aspecto da realidade, que nos emocionam e fazem pensar. Em outras palavras, há muitos artesãos habilidosos, mas os artistas são raros.

No mundo da beleza ocorre o mesmo. Há milhares de cabeleireiros e maquiadores com excelente técnica, mas poucos sabem criar um estilo. É ainda mais raro encontrar profissionais que conseguem desenvolver um estilo personalizado para cada cliente. Um hairstylist, ou designer da imagem pessoal, impressiona pela capacidade de criar uma imagem que valoriza todos os aspectos de sua cliente. Evidentemente, a imagem precisa ser executada com muita técnica, mas a habilidade artesanal é ofuscada pela expressão da imagem. Aliás, não é preciso que o criador da imagem execute o trabalho, assim como o estilista de moda não costura as roupas que cria e o arquiteto não constrói os prédios que concebe. Eu mesmo não consigo cortar um cabelo, ou maquiar um rosto, mas sei indicar o que um profissional deve fazer para expressar a intenção de um cliente. Sei criar um estilo personalizado, mas não sei executá-lo.

É necessário dominar a técnica para executar um trabalho de arte, mas para criar uma obra, para ser criativo, é preciso ter, também, domínio de linguagem, sensibilidade e, principalmente, conteúdo.

Mas, o que é técnica? Na área do cabelo, ter técnica quer dizer, simplesmente, saber cortar, pentear, colorir, finalizar um cabelo e obter diversos efeitos. Nada disso tem a ver com estilização! O problema é que, na maioria dos cursos, ensina-se a técnica enquanto um estilo de corte é demonstrado e o aluno copia. O resultado é que se confunde técnica com estilização.

Estilização é a construção da imagem, que expressa uma intenção. Ocorre numa etapa anterior à da execução do trabalho: na mente do estilista. Se souber desenhar, o estilista pode colocá-la no papel e depois entregar o trabalho a outro para executar.

O estilista é um artista, não meramente um artesão habilidoso. Necessita outros conhecimentos, além dos técnicos. Precisa saber como uma imagem e a linguagem visual funcionam: os princípios de equilíbrio visual, de proporção e harmonia, de forma, planos e profundidade, de volume e de cor. Com esse conhecimento ele sabe construir uma imagem que expressa uma intenção, não importa a técnica, nem a superfície ou área.

Mas, preste atenção na palavra intenção. Sem ela, não há arte e a técnica e o conhecimento da linguagem visual, de nada servem. E isso quem deve decidir é o cliente. Descobrir o que ele deseja expressar, saber traduzir essa intenção numa imagem e, depois, ter técnica para executar o trabalho: ISSO É VISAGISMO. O visagista é o cabeleireiro que se tornou artista, um verdadeiro designer da imagem pessoal.

Deixe um comentário:



Buscar

Notícias

Newsletter

Assine e receba as novidades da revista em primeira mão.



Publicidade


Revista Cabeleireiros.com

Login Cadastre-se