Matéria da Revista Cabeleireiros.com - Edição 54

ImprimirVolume mínimo ou máximo?

Avalie: 12345

oxidantes (1)Entenda como funcionam os oxidantes, quais as melhores combinações e como usá-los corretamente

texto: Eder Garrido | foto: Adel Awad

Estamos no verão. Se a estação tem tudo a ver com férias, sol e praia, para os cabeleireiros, ela também é sinônimo de oxidante. Nessa época, muitas mulheres resolvem clarear um pouquinho (ou muito) os fios. E aí não tem jeito. A famosa substância se torna indispensável no dia a dia dos profissionais.

Como o próprio nome diz, o oxidante é responsável pela oxidação dos micro-pigmentos, clareando a cor natural dos cabelos e agindo na eliminação da melanina e de seus derivados. Logo, é ele quem retira os pigmentos naturais do fio para que sejam substituídos pelos pigmentos artificiais da coloração, possibilitando um novo visual.

De acordo com Vera Flecher, coordenadora técnica da BSG e sócia da BSG Academy Curitiba, todos os peróxidos de hidrogênio de oito, dez, 20, 30 e 40 volumes podem ser usados em colorações.
O grau de clareamento depende da concentração, conforme a tabela abaixo:

CONCENTRAÇÃO         CLAREAMENTO
2,5% ou 8 volumes        escurece e clareia até 1 tom
6% ou 20 volumes         até 2 tons
9% ou 30 volumes         até 3 tons
12% ou 40 volumes       até 4 tons

A relação entre os oxidantes e os tipos de colorações também varia. Conforme explica Maria Neves, técnica de produtos da Amend Cosméticos, tonalizantes utilizam uma emulsão oxidante mais suave - geralmente de 10 volumes -, ideal para uma proposta tom sobre tom. No caso das tinturas permanentes, para utiliza-se a água oxigenada de 20 volumes. Para procedimentos de clareamento, recomenda-se a de 30 volumes e, para tonalidades claríssimas, combina-se a coloração ultraclareadora com água oxigenada de 40 volumes.

Estão disponíveis no comércio diversos tipos de oxidantes; para as colorações, Vera recomenda a emulsão. “Ela possui moléculas dilatadas e é bem absorvida pelo fio”, explica. “Além disso, dispõe de hidratantes como a lanolina, que não causa ardência no couro cabeludo”, completa Maria. Vale evitar, portanto, a água oxigenada líquida, que tem excesso de água e não hidrata, e a opção cremosa, que não é bem absorvida.

Tendo isso em mente, é só misturar a coloração com o oxidante e pronto, certo? Errado. O “olhômetro” não deve ser digno de confiança e a quantidade de oxidante indicada pelo fabricante deve ser seguida à risca. Se usado em excesso, o resultado será uma coloração sem durabilidade e de nuance menos intensa por causa da diluição do pigmento de corante. Isso sem falar na menor cobertura dos fios brancos.

Se usado em menor quantidade, o resultado será um escurecimento da cor, aumento da porcentagem de amônia na coloração e ardência do couro cabeludo.

Maria chama atenção para outra parte importante do processo: além da quantidade correta de oxidante e coloração, a mistura deve ser aplicada nos cabelos de maneira uniforme. “Se a cliente tem um cabelo enorme e o profissional usa apenas um tubo de coloração, é quase certo que o resultado serão manchas e falhas em todo o comprimento”, diz. E mais uma dica: use o oxidante da mesma marca da coloração, pois o pH de cada um está balanceado. A mistura de produtos de empresas diferentes implica um resultado não tão eficaz em relação ao obtido com a devida combinação.

Outra questão é o tempo de pausa. O respeito à espera é necessário para obtenção de uma cobertura uniforme dos fios brancos ou de um clareamento perfeito. “Caso permaneçam nos cabelos além do período estipulado, os processos de oxidação e pigmentação continuam danificando os fios”, explica Vera.

Da mesma forma, se a coloração for retirada antes, o resultado também será aquém do esperado. Isso acontece porque os pigmentos precisam se oxidar e, assim, revelar a nova cor. Portanto, se a embalagem recomenda um tempo de ação de 35 minutos, por exemplo, não arrisque o look da cliente alterando essa contagem.

E mais: caso sobre um pouquinho da mistura, nem pense em guardá-la para usar posteriormente. Após unir oxidante e coloração, a oxidação age por cerca de 60 minutos. Depois desse tempo, ela para e resta somente a pigmentação.

Vale lembrar ainda que o oxidante é uma substância volátil, por isso é necessário usar uma emulsão oxidante estabilizada, com a função de manter as moléculas de oxigênio e hidrogênio juntas, evitando a perda de potência. Fechado e armazenado em local fresco e arejado, o oxidante deve ser usado dentro da data de vencimento. No caso de salões, deve-se preferir adquirir o produto específico para esse tipo de empreendimento e em embalagens maiores, por causa do uso recorrente.

Galeria de fotos:

  • Automne-Hiver 2010/2011 | Franck Provost

1 Comentário:

  1. Foto: Dorah
    Dorah: 25/04/2012 às 03:47
    contéudo muito bom para pesquisa!!!


Buscar

Notícias

Newsletter

Assine e receba as novidades da revista em primeira mão.



Publicidade


Revista Cabeleireiros.com

Login Cadastre-se